ESTUDO – Alterações cerebrais mudam atitudes

O instinto maternal e o cuidado com os recém-nascidos são reconhecidos tanto em humanos quanto em animais. Mas, um recente estudo da Universidade Hebraica de Jerusalém vai além, ao comprovar que a maternidade está associada à adoção pela fêmea de uma série de novos comportamentos, decorrentes de alterações na função cerebral.
A pesquisa, conduzida pelo prof. Adi Mizrahi, do Centro Edmond e Lily Safra, de Ciências do Cérebro (ELSC), e do Instituto Silberman, de Ciências da Vida Humana da Universidade Hebraica, foi publicada na revista “Neuron”.
O estudo investigou como as mudanças neurais integram odores e sons, que estão por trás da capacidade da mãe de reconhecer e responder a chamadas de socorro de seus filhotes.
“Sabemos que alterações cerebrais diferentes estão relacionadas com a maternidade, mas o impacto dessas mudanças no processamento sensorial e no surgimento de comportamentos maternos é desconhecido”, diz Mizrahi. “Em ratinhos, os sinais olfativos e auditivos desempenham um papel importante na comunicação entre a mãe e seus filhotes”, conclui o professor.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Anúncio

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email