Estudantes recebem desafio de desenvolver projetos em robótica

A cidade de São Paulo recebe, no próximo fim-de-semana, a etapa “Aberto do Sudeste”, que integra um dos mais importantes torneios juvenis de robótica do mundo, o First Lego League. Durante o evento, mais de 500 estudantes com idade entre 10 e 15 anos, pertencentes a 50 equipes, apresentam seus projetos conforme o tema proposto para essa edição: “O Desafio Energético”.
Entre os estudantes, haverá participação de alunos de duas escolas de Manaus – Escola Nilton Lins e Escola Miguel de Cervantes.
Os participantes devem realizar, em uma arena, 12 missões com diferentes tipos de energia, como: eólica, nuclear, solar, hidráulica, combustíveis fósseis e bicombustíveis, entre outras, sempre respeitando as interferências e impactos dessas energias no meio ambiente e na sociedade.
As equipes também devem apresentar uma pesquisa teórica sobre o assunto, dessa forma, elas podem desenvolver aspectos práticos e teóricos que influenciam no uso racional da energia do mundo atual e na busca de uma melhor qualidade de vida.

Atividades têm regras específicas

Todas as atividades realizadas durante o torneio devem obedecer a regras especificas, caso contrário, implicam em perda de pontos. “Apesar disso, salientamos sempre aos participantes para priorizarem a experiência e não a premiação”, explicou o diretor da First no Brasil, Ivan Boesing.
Entre os quesitos avaliados estão desde a excelência técnica do projeto e cumprimento dos desafios até o relacionamento e respeito entre os integrantes da equipe, passando, inclusive, pela atuação do mentor do grupo.
As equipes que mais se destacam durante o torneiro são selecionadas para participar da etapa nacional, que ocorre em agosto, também em São Paulo. A partir daí, os melhores se classificam para as fases internacionais, que abrangem o Torneio Sul-Americano e o World Festival, que acontece em Atlanta, EUA, em abril de 2009.

Voluntários no
Educar e Aprender
A First (For Inspiration and Recognition of Science and Technology), ONG americana idealizadora do evento, tem como princípio não apenas o objetivo de desenvolver habilidades de ciências exatas e tecnológicas nos jovens participantes, mas, especialmente, habilidades para vida, como interação, espírito de equipe, ética e cortesia profissional.
Há 10 anos em parceria com a Lego Education, a FLL incentiva os jovens a realizarem projetos de robótica e a celebrarem a ciência, cultura, matemática, engenharia e tecnologia, da mesma maneira que o esporte e o lazer.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email