Estudantes da UFAM vão representar o Amazonas no Hult Prize

Pela primeira vez, o estado do Amazonas será representado no Hult Prize, maior premiação internacional de empreendedorismo social. Onze estudantes da UFAM (Universidade Federal do Amazonas) estarão apresentando suas ideias voltadas para a problemática do desemprego juvenil e achar meios de despertar o potencial econômico de pelo menos 10 mil jovens durante a próxima década. A ideia da competição é incentivar jovens a pensarem nas soluções de problemas globais.

O tema escolhido busca incrementar a empregabilidade entre a população jovem do mundo, e reverter previsões pessimistas que apontam milhões de jovens desempregados nos próximos anos. A melhor proposta de startup criada para auxiliar na solução do desafio será escolhida na Grande Final do Hult Prize 2019. Os seus desenvolvedores receberão o prêmio de U$ 1 milhão diretamente do ex-presidente norte-americano, Bill Clinton, na sede da ONU em Nova Iorque.

Segundo a diretora de Campus do Hult Prize na Ufam, Thainá Bentes, e líder da equipe Orbe – umas das participantes do evento- na primeira rodada, os onze alunos divididos em três equipes de startups,  competiram com mais de 200 mil grupos de outros países, e se classificaram entres  entre as 3.500 melhores. Destas, apenas 50 serão selecionadas para ficarem dois meses no castelo Hult Prize, onde irão receber mentoria de aceleração das fundações do Google, Education First, MIT, Microsoft, Oxford entre outros.

“Esta fase sorteou cada equipe para defender seu projeto por várias cidades da Europa. As cidades onde cada uma das três equipes da UFAM ficará situada durante 10 dias são: Londres, Madrid e Oslo. A equipe Orbe vai oferecer uma plataforma que permitirá o estudante a ter uma experiência profissional. Muitas empresas buscam pessoas com experiências, mas não oferecem oportunidade para isso. Nós queremos preencher essa lacuna.”, disse.

Defensora de um ambiente acadêmico que estimula e ensina o empreendedorismo, a líder da equipe Meira – palavra indígena que significa esquilo – a acadêmica de medicina Bruna Lins, conta que o evento é uma grande oportunidade dos alunos estarem em contato com as melhores fundações e instituições empreendedoras do mundo, onde será possível absorver novos conhecimento e adquirir experiência para a criação de um futuro negócio sustentável.

"Na faculdade de medicina não aprendemos a empreender e sim conhecimentos técnico. O ambiente universitário deveria formar o acadêmico para que mais tarde sejamos fontes de trabalho, emprego e inovação. A competição Hult Prize trouxe isso para a minha vida, em como empreender e ter noção de negócio. E essa é a grande novidade. O que esperamos vai muito além da premiação em dinheiro, porque só o fato de estarmos lá, já é uma grande vitória. Esperamos que o evento seja uma oportunidade de termos aceleração da nossa startup e aprender muito. Isso será um grande ganho para UFAM, porque podemos mostrar para o resto do mundo que nossa universidade tem boas ideias que pode contribuir com projetos sociais relevantes" , destacou.

O trabalho da startup Meira, consiste em criar uma rede social voltada para acadêmicos que não têm tempo de trabalhar. A plataforma tem o intuito de oferecer diversas oportunidades em torno dos empregos informais,, onde o estudante poderá usar suas habilidades para ganhar uma renda.  

“A grande maiorias dos estudantes não tem como trabalhar devido aos horários de estudos. A maiorias das empresas só disponibilizam trabalhos no horário comercial. A nossa ideia é dar valorização no trabalho informal. No Amazonas quase 50% da população possui renda do trabalho informal. Então, pensamos em trazer isso para o universo acadêmico. Hoje em dia tudo está focado no celular. Essa rede social seria uma ferramenta de eles encontrarem 'bicos' para conseguir uma renda. Nosso slogan é um tinder de empregos", explicou Bruna.

Com início na UFAM, a startup NEPTUR propõe o fomento ao empreendedorismo através do desenvolvimento do turismo sustentável. Segundo a diretora executiva da equipe, a graduanda em  administração, Mariel Justa, a finalidade da startup, é buscar formar uma rede que incentiva, capacite e dê mentoria a jovens universitários, com o intuito de aumentar o protagonismo fora da do ambiente de sala de aula.

“Queremos despertar a cultura maker; desenvolver os empreendedores e potenciais empreendedores; oportunizar inserção ou recolocação de jovens no mercado de trabalho, solucionando problemáticas sociais através do empreendedorismo e turismo sustentável”, disse.

A acadêmica explica, que o Hult Prize, será uma grande oportunidade de aprender a gerenciar o próprio negócio e gerar benefícios para a sociedade amazonense no futuro.  "Mesmo que a gente não chegue a ganhar o primeiro lugar, estaremos ganhando experiência. Teremos a certeza de que nossa ideia foi muito boa, porque passamos por mais de 200 mil inscrições de 120 países. O nosso projeto está bem avançado e atualizado com aquilo que o mundo está precisando. Lá, vamos conseguir maiores contatos, experiências, capacitação,mentoria e aceleração das maiores empresas de empreendedorismo do mundo. Vamos buscar outros meios para conseguir os investimentos para fazer alavancar a startup no Amazonas”, disse.

Vaquinha virtual

Segundo Thainá Bentes, o grupo precisa de apoio financeiro para custos de passagens aéreas internacionais e estadias para cada participante nas cidades de sua competição. Se as equipes forem selecionadas para as próximas etapas, elas vão passar dois meses finalizando seus projetos no castelo da Hult Prize, em Londres, para concorrer na última fase que acontece na sede da ONU, em Nova Iorque. O grupo criou uma vaquinha digital para ajudar com os custos, além de uma feijoada, que vai ser realizada no clube dos Magistrados no dia 17 de fevereiro

“Para isso precisamos de apoio financeiro no valor de R$ 70mil, para custear nossas passagens e estadia nas regionais de cada cidade, mais custos com alimentação e transporte”, disse. São 11 passagens aéreas internacionais com suas devidas escalas sendo 4 para Londres, 4 para Madrid e 3 para Oslo; 10 estadias para cada participante nas cidades de sua competição; 12 ajudas de custo para 10 dias cada para mobilidade e alimentação dos mesmos discentes”, explicou.

Sobre a Hult Prize

A Hult Prize é uma iniciativa, desenvolvida pela ONU (Organização das Nações Unidas) e pela Fundação Bill Clinton, e tem a finalidade de selecionar e premiar ideias inovadoras e de incentivo ao empreendedorismo social. Times selecionados no mundo todo ao longo de quatro etapas são desafiados a propor ideias empreendedoras voltadas à empregabilidade na juventude. Prêmio Hult é o maior motor do mundo para o lançamento de startups com fins lucrativos emergentes da universidade.

 

Vaquinha digital no Catarse

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email