A SRTE /AM (Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Estado do Amazonas) está firmando uma parceria com a Seduc (Secretaria de Estado de Educação e Qualidade no Ensino) para iniciar, nas escolas, o processo de emissão de carteiras de trabalho destinadas a alunos do último ano do ensino médio. Com a iniciativa, mais de 25 mil alunos devem ser beneficiados pela parceria entre os dois órgãos.
Por meio de sua assessoria de imprensa, a Seduc confirmou o acordo com a autarquia e também informou que no final da tarde de ontem, 21, uma nova reunião seria realizada para tratar sobre o assunto. “A ideia é facilitar o acesso dos jovens à emissão da carteira de trabalho. Por isso, estamos em contato com a Seduc para iniciarmos, ainda sem data marcada, este processo junto aos estudantes, que já sairão da escola com o documento na mão”, salientou o titular da SRTE/AM, Alcino Vieira.
No último levantamento da Superintendência, foram emitidas 11.859 carteiras de trabalho em maio. A maioria foi realizada por intermédio de atendimento direto no órgão. “Este número já engloba também os documentos renovados, as segundas vias de carteira de trabalho”, informou. Na avaliação de Vieira, o Amazonas puxa os empregos na região Norte.
“Você pode ver pelos dados do Caged [Cadastro Geral de Empregados e Desempregados] que o Amazonas está sempre à frente na geração de emprego. A economia está crescendo e com isso cresce a demanda da mão de obra”, salientou.

SRTE/AM flagra mais irregularidades

Mesmo diante do bom desempenho do Amazonas na geração de emprego, a SRTE/AM ainda constata irregularidades no processo de contratação de funcionários nas empresas de Manaus. Por ordem da Superintendência, que constatou, através de fiscalização, a inexistência de contrato de trabalho ou contratos irregulares, mais de R$ 1,194 milhão serão revertidos em FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) a 660 funcionários que atuavam de forma irregular em empresas de Manaus.
“Esse valor corresponde ao que as empresas deixariam de pagar aos funcionários irregulares e agora vão ter de pagar, além de assinar a carteira. Lavramos 783 autos de infração e visitamos 360 empresas, das quais 146 apresentaram irregularidades junto aos trabalhadores”, relatou o superintendente da SRTE/AM.
As empresas que mais apresentaram irregularidade na contratação de pessoas pertencem aos setores de construção civil, portos e embarcações.
Vieira explicou que os resultados obtidos nos processos de regularização dos funcionários são frutos das constantes fiscalizações do órgão. “Constantemente realizamos planejamento mensal de fiscalização para todo o Estado e também temos as denúncias que recebemos dos trabalhadores. Com isso, as fiscalizações estão surtindo efeito junto ao mercado de trabalho de Manaus”, ressaltou.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email