Essas meninas superpoderosas em Paris

Desde a segunda metade do século 19 Paris tem sido o sonho de consumo de artistas de todas as vertentes do mundo inteiro, e continua sendo assim até hoje. Por isso ser convidado para participar de evento na Cidade Luz é a maior honra e glória para um artista.

E Paris é chamada de Cidade Luz não porque seja bastante iluminada, mas exatamente porque como uma lâmpada que atrai insetos, há séculos atrai artistas, pintores, escultores, músicos, arquitetos, bailarinos, e outros. Por isso a cidade tornou-se o maior centro de artes do mundo. Van Gogh (holandês), Picasso (espanhol), Santos Dumont (brasileiro), Chopin (polonês), Hemingway (americano) entre centenas de outros, famosos, ou não, se mudaram em algum momento de suas vidas para a Cidade Luz.

Susana Pires ganhou a Medalha de Bronze na categoria Pintura

“Eu fui convidada pela ArtCom Internacional para participar do ‘Carrousel du Louvre’, organizado por eles. Comentei com algumas artistas conhecidas, que toparam o desafio, porém, elas mandaram somente a obra, porque participar do evento tem um custo um pouco alto. Só a inscrição fica entre 400 e 700 euros”, falou a artista plástica amazonense Rejane Melo, que foi a Paris.

O salão internacional de artes plásticas ‘Salon Art Shopping’, conhecido pelos artistas brasileiros como ‘Carrousel du Louvre’, é uma excelente oportunidade de os artistas apresentarem suas obras ao público, vender seus trabalhos, criar um banco de dados de contatos (amantes da arte, colecionadores, galerias), além de garantir a visibilidade de sua arte não só no ‘Salon Art Shopping’, mas principalmente nas mídias sociais.

“É um evento anual de arte, luxo e tecnologia, que ocorre sempre no mês de outubro, este ano entre os dias 18 e 20. Artistas e galerias do mundo inteiro participam deste grande acontecimento”, completou Rejane.

Estiveram nesta edição 36 artistas plásticos da Albânia, Angola, Argentina, Brasil, Bélgica, Bissau, França, Holanda, Itália, Noruega, Portugal, Reino Unidos, e Estados Unidos.

 Todas foram premiadas

Marian Serrão ficou com a Medalha de Criatividade

‘Carrousel du Louvre’ é o nome da galeria comercial que se encontra no subsolo do Museu do Louvre. A entrada do ‘Carrousel’ se encontra no 99 da rua Rivoli. No primeiro nível da galeria funciona a Escola do Louvre e uma série de lojas, restaurantes e fast-foods.

No segundo nível está a famosa pirâmide invertida, uma das entradas para o Museu.

Rejane Melo já participou de três edições do ‘Salon Art Shopping’ e este ano levou junto as obras de quatro outras artistas amazonenses, coincidentemente só mulheres: Suzana Pires, Marian Barros, Danni Nazareno, e Maria Luísa Albuquerque, uma garota de apenas 12 anos.

“No espaço da ArtCom foram realizadas algumas premiações e certificações do evento e, para nossa alegria, todas nós amazonenses recebemos destaque pelas obras: Danni Nazareno recebeu Medalha de Ouro na categoria Fotografia; Marian Barros ficou com a Medalha de Criatividade; Suzana Pires ganhou a Medalha de Bronze na categoria Pintura; e até a jovem Maria Luísa recebeu a Medalha de Prata Jovem Talento. Eu recebi a Medalha de Ouro na categoria Pintura”, comemorou.

Danielle Nazareno recebeu Medalha de Ouro na categoria Fotografia

De volta a Manaus na manhã de ontem, 29, Rejane Melo trouxe as premiações na bagagem e a certeza de ter aberto portas para a arte cabocla.

“É motivo de orgulho para nós participar de um evento como este representando o Amazonas. A partir destas premiações, passamos a ser cotadas para os próximos eventos internacionais do gênero. Para se ter idéia, houve convites para irmos a Miami, Portugal, Dubai e Londres. Este evento nos possibilita grandes oportunidades na caminhada de nossa profissão”, destacou.

Maria Luiza recebeu a Medalha de Prata Jovem Talento

 Objetivo é conquistar o mundo

Suzana Pires já está acostumada a eventos no exterior. Já expôs duas vezes no principado de Liechtenstein; em Budoni, na Itália; e agora em Paris.

“Sou artista plástica há 37 anos e desde 1985 participo de exposições. As mais recentes foram no Studio HA, no Shopping Ponta Negra; e na loja de artes Fast Frame. Sou de Belém, amazônida, por isso comecei pintando paisagismo. Hoje meu estilo é o figurativo abstracionista. Quanto mais longe pudermos mostrar nosso trabalho, melhor”, disse.

Com apenas 12 anos de idade, Maria Luisa aprendeu a pintar há cerca de um ano, na escola de artes de Rejane Melo, mas já participou de exposições na Arena da Amazônia, Feira do Paço, Palacete Provincial e Centro de Artes Chaminé. Este ano expôs na Galeria Núcia Simonetti, em São Paulo, e ganhou o Prêmio Melhor Salão.

“Sempre gostei de desenhar, aí minha mãe me colocou para aprender a pintar e, desde então só tenho procurado me aprimorar, porque sou muito perfeccionista. Paris foi só o começo”, alertou a garota.

Marian Serrão é fotógrafa e artista visual. Já participou de exposições no Icbeu e na Ufam. Em Paris foi sua estréia no exterior.

“Fotografo há mais de dez anos, por brincadeira, mas há um ano me profissionalizei e desde então este é o meu trabalho. Expor no exterior é atingir o mundo”, falou.

A fotógrafa Danielle Nazareno recebeu dois convites para expor em Paris: de uma tia que mora na Inglaterra e é amiga da curadora do ‘Salon Art Shopping’, e de Rejane Melo. Não deu outra. Expôs pela primeira vez no exterior e ganhou Medalha de Ouro na categoria Fotografia.

“De lá minha tia informava que os comentários e críticas a respeito de minha foto eram ótimos, até porque tem a ver com a Amazônia. Diziam que era uma foto do momento”, contou.

Sob a curadoria de Sérgio Cardoso, Danielle já tem seis exposições no currículo, em Manaus, e fará mais uma no dia 5 de novembro, no Palácio da Justiça.        

 

***

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email