Viemos de uma juventude integrada por adolescentes que estudaram e trabalharam, aprenderam a poupar visando o sustento próprio e com isto não se deixaram influenciar por uma política rasteira, afastando-se sempre daqueles minoritários que buscaram na política o caminho para a satisfação de seus egos e a consequente obtenção de recursos. Nas décadas de 50 e 60 empresários lutadores e honestos desconheciam o emprego da propina como método de obtenção de empréstimos. Desafortunadamente, LULA fora eleito e dera início à malversação do dinheiro público com o mensalão, petrolão e os valores que o BNDES transferira para o exterior, beneficiando as empreiteiras brasileiras e países comunistas que se enriqueceram ilicitamente. E, com isto a arte de roubar crescera e se ramificara para estados e prefeituras, tendo encontrado no caminho políticos fracos de caráter e corruptos que hoje envergonham a Nação e tentam agora tirar proveito da atual situação que ajudaram a construir por ação ou omissão.
A greve dos caminhoneiros sem conotação político-partidária revelara o poder de uma categoria digna que se limitara a alcançar seus anseios necessários à sobrevivência. Se gerara o caos é a consequência da falta de visão de vários governos que lhes deram as costas. Fora uma categoria que capitalizara vitórias, não só porque tivera o apoio do povo, mas porque ignorara os políticos e os oportunistas que tentaram anexar o bonde do “fora Temer”.

A manifestação de ódio só serve para prestar um desserviço à Nação e aqueles que pretendem o golpe desconhecem o passado e menosprezam o cenário que atravessamos. A fraqueza de um governo decorrente de entrevistas ineficientes, onde quase todos fracassaram, nos dá a exata dimensão do que esta por vir em outubro. Por isso e muito mais não devem os políticos brincar com fogo porque passarão pelo veredito das urnas e muitos terão o destino que merecem. É o mínimo que se espera de um eleitor mais sofrido e por isto mais experiente. Os que construíram este cenário degradante, acreditando na impunidade, esperando ver o povo derrotado pela “audácia dos canalhas”, devem hoje receber o nosso repúdio. Muitos se afastaram do povo a quem nunca prestaram contas de seus mandatos, ignorando o péssimo estado dos hospitais públicos de suas próprias bases eleitorais, a queda no ensino e a total falta de segurança.

Temos os parlamentares mais caros do mundo. Cada senador custa R$ 11.145,00 por minuto e cada deputado federal R$ 6.600.000,00 por ano, o que é uma vergonha, principalmente quando comparado com países ricos ou países nórdicos. Trocar essa corja é o que se impõe como medida salutar ao País, ao povo e ao empresário. Exerça seu voto com responsabilidade porque ele tem consequências. Uma Nação sem credibilidade não é o que queremos para nossos netos. Saibamos escolher políticos capazes e conscientes de que o foco do poder não está na política, mas no complexo empresarial que gera empregos e paga tributos, impulsionando a Nação e alimentando os cofres públicos.

*é ex-conselheiro federal da OAB/AM nos triênios 2001/2003 e 2007/2009 – [email protected]

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email