Escolas municipais com novas estratégias

Grupos de conversa, drive-thru de apostilas, videoaulas são algumas ferramentas criadas pelas unidades de ensino da rede municipal de ensino, da Prefeitura de Manaus, para atender crianças e adolescentes no período de isolamento social, em que todos os mais de 240 mil alunos estudam em casa. A ação é um complemento ao projeto “Aula em Casa”.

Todas as atividades criadas pelos professores correspondem aos conteúdos da proposta pedagógica-curricular da Secretaria Municipal de Educação (Semed), de acordo com a modalidade de ensino.

A escola municipal Padre Mauro Fancello, no bairro São Francisco, zona Sul, atende 617 alunos da educação infantil ao ensino fundamental 1, que corresponde do 1º ao 5º ano. Para atender aos alunos foi criado o drive-thru de apostilas com conteúdos da língua portuguesa e matemática, e os alunos têm duas semanas para responder as atividades e pegar novas apostilas.

Os pais ou responsáveis podem pegar o material em três pontos específicos próximos da unidade, seguindo, claro, todas as recomendações de prevenção ao novo coronavírus, como o uso de máscaras.

De acordo com a gestora da escola, Leslye Moutinho, as apostilas são uma ferramenta a mais para incentivar o processo ensino/ aprendizagem das crianças.

“As apostilas são de português e matemática, mas mesmo assim não deixamos de trabalhar outros conteúdos curriculares, que são inseridos nos textos. Nas próximas apostilas, vamos incluir atividades de educação física. A criação das apostilas, a princípio, era para atender somente os alunos que não conseguiam acessar a internet e não tinham televisão, para acompanhar as atividades do projeto ‘Aula em Casa’, mas acabou que todos os pais quiseram aderir”, informou Leslye

Já as 280 crianças do Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) Dom Bosco, no bairro Compensa, zona Oeste, recebem duas vezes por semana videoaulas com histórias contadas pelos professores com temas variados, que são repassados por meio de um grupo de conversa.

“Toda semana são enviados os vídeos com temas variados, que falam sobre natureza, datas comemorativas, reciclagem, entre outros. Os professores contam uma história e os alunos fazem as atividades de acordo com o que entenderam. O retorno tem sido muito positivo”, explicou a gestora da unidade, Anne de Albuquerque.

O grupo de conversa criado pelos professores da escola municipal Professor Davison Pereira, no bairro Tancredo Neves, zona Leste, que antes era apenas usado para manter contato com os pais, hoje passou a ser um meio de ensino com os alunos.

De acordo com a gestora da unidade, Maria Elisângela da Silva, eram atendidos os alunos do 1º ao 5º ano e quando surgiu a ideia do trabalho on-line, todos aderiram ao grupo de conversa. No total, a escola atende 580 alunos do 1º ao 4º ano.

“Quando iniciou o distanciamento social, os professores começaram a encaminhar as atividades para os alunos pelos grupos de conversa, isso tudo antes mesmo do projeto ‘Aula em Casa’. Todos seguiram o planejamento, tudo para que a alfabetização das crianças não seja prejudicada e todas as atividades são analisadas pela pedagoga da escola, que também faz parte de todos os grupos de conversa e assim tira as dúvidas das crianças e dos pais”, esclareceu Maria Elisângela.

Fonte: Redação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email