ERT aposta em bioplástico e irá inaugurar planta fabril em Manaus, no próximo ano

Recentemente no Amazonas, duas leis aprovadas – uma estadual e outra municipal, com abrangência em Manaus – vedam a comercialização das tradicionais sacolas plásticas, sendo permitida apenas a distribuição das feitas com materiais biodegradáveis. Proposituras semelhantes estão em vigência em outras localidades brasileiras em um movimento em prol da sustentabilidade e de um incentivo ao consumo consciente.

No Brasil, de acordo com um estudo do WWF, menos de 1,3% do plástico produzido é reciclado. Além dos impactos econômicos, vem crescendo a preocupação com a preservação do meio ambiente. As sacolas comuns do dia a dia, feitas a partir do petróleo, demandam até 400 anos para se decomporem. Ao entrar nos mares, por exemplo, esses resíduos  prejudicam a vida marinha e causam consequências graves quando ingeridos por tartarugas ou outros animais.

E é em meio a essa problemática que trago a empresa brasileira Earth Renewable Technologies (ERT), que atua com o desenvolvimento de um bioplástico obtido por meio de uma resina, que mistura materiais orgânicos com a fermentação da cana-de-açúcar (ácido lático, PLA), a qual se decompõe em até seis meses.

Segundo o diretor de Produto e Inovação da ERT, Emanuel Martins, a tecnologia utilizada é uma alternativa que mantém as propriedades do plástico e reduz os impactos ambientais.

“Após ser descartado e sob as condições ideais de compostagem (umidade, calor e microrganismos), esse plástico se transforma completamente em matéria orgânica, ou seja, em adubo para plantas. E mesmo que vá parar em um aterro, o material é capaz de se biodegradar em até 180 dias. Ou seja, se decompõe em muito menos tempo do que o plástico comum e não contamina o solo”, explica.

O processo utilizado no bioplástico da ERT advém de uma pesquisa inicialmente desenvolvida – e posteriormente, patenteada – por cientistas da Universidade de Clemson (EUA). Idealizador da empresa, o empreendedor brasileiro Kim Gurtensten Fabri investiu no projeto científico, permitindo o escalonamento produtivo a níveis comerciais. No ano de 2021, a ERT inaugurou a sua fábrica no Brasil, na cidade de Curitiba/PR.

Desde então, o faturamento da marca cresceu aproximadamente 15 vezes e a capacidade produtiva anual é de 3500 toneladas. Entre os principais clientes da ERT estão a rede de lavanderias 5àSec e o marketplace iFood. A meta é que em 2025 a produção da resina cresça em até dez vezes. Para alcançar tal objetivo, a companhia  irá inaugurar em Manaus, no início de 2024, uma fábrica para a produção dos compostos que integram os bioplásticos.

De acordo com o Emanuel, a estimativa é que 100 funcionários sejam contratados para atuar na indústria localizada na metrópole nortista. A planta fabril terá capacidade de processamento de 3500 toneladas/ano.

“Manaus já é um hub de conversão de plástico, sendo a 3ª economia do polo industrial, por isso o potencial de clientes é enorme. Além disso, dentro dos benefícios da operação amazonense está a colaboração com instituições de pesquisa, locais no desenvolvimento de novos plásticos compostáveis e no incentivo da utilização de bioinsumos regionais. Buscamos a evolução contínua dos nossos bioplásticos e incentivamos a bioeconomia local para inserir o Brasil na vanguarda do desenvolvimento sustentável”, finaliza o diretor.

Tecnologia: robô é usado na Amazônia peruana para reflorestamento

Chamado de YuMi um robô está ajudando a reflorestar a Amazônia peruana. Apesar de não ser muito grande e de aparência simples, O YuMI, máquina considerada colaborativa, é um verdadeiro super-herói quando o assunto é proteger a floresta. Desenvolvido pela empresa ABB Robótica, a máquina atua em conjunto com a ONG Junglekeepers, e a missão do prodígio não é nem pouca e nem pequena: o robô está auxiliando na missão de proteger nada menos do que 55 mil acres de floresta amazônica no Peru. Como o YuMi está automatizando tarefas de plantio, o que acelera o processo, a equipe de voluntários concentra tempo e recursos em outras atividades!

Shopping recebe Feira Internacional de Artesanato

Se você quer viajar ao exterior e a grana anda curta, lá vai uma dica de ouro: a partir do sábado (28/10), o Shopping Manaus ViaNorte irá receber mais uma edição da Feira Internacional de Artesanato e Decoração Nações & Artes. Nessa edição, o público poderá apreciar produtos artesanais e peças exclusivas de países como o Senegal, Marrocos, Polinésia Francesa, Índia e do nosso Brasil. A Feira está programada para ficar no shopping por cerca de 15 dias e irá funcionar de segunda-feira a sábado, das 10h às 22h, e, aos domingos e feriados, das 12h às 20h. Além de dar uma volta pelos países e conhecer os costumes e culturas, o consumidor poderá adquirir itens e lembrancinhas a partir de R$ 15. É só dar uma chegadinha na Praça Central do mall e boa viagem!

Havaianas expande pontos para coleta de sandálias

Programa da Havaianas iniciado em 2020, o reCICLO, chega a 200 pontos para coleta de sandálias. Dessa vez, a expansão atinge outros seis estados brasileiros: Acre, Amapá, Pará, Piauí, Roraima e Tocantins. O programa de logística reversa da marca garantiu o descarte adequado e a reciclagem de 126 mil pares de sandálias em várias localidades do Brasil. Para auxiliar nessa ação, a companhia iniciou parceria com a startup Trashln, que é especializada na gestão de resíduos e logística reversa. Essa é a maneira que a empresa busca conscientizar os consumidores sobre a importância do descarte correto, além de ajudar cooperativas e outros parceiros. Depois da coleta da sandália na urna coletora das lojas, os itens são enviados às cooperativas ou recicladores próximos e, depois, passam por triagem e ganham novo ciclo de vida, transformando-se em objetos, como pisos, acessórios, bolsas, carteiras, dentre outros. Bacana, né? Em Manaus, você pode destinar as suas Havaianas nas lojas do Amazonas Shopping, Manauara Shopping e na da Rua Eduardo Ribeiro.

RÁPIDAS & BOAS

A DIO e o Santander Universidades, pelo projeto Santander Bootcamp Cibersegurança, vão disponibilizar 5 mil bolsas de estudo gratuitas para profissionais interessados em segurança de dados. As inscrições vão até a sexta-feira (3/11) e podem ser feitas pelo link (https://curtlink.com/oVdkhOW).

******************************************

Nos dias 7,8 e 9/11, irá ocorrer a segunda edição da Feira de Sustentabilidade do Polo Industrial de Manaus (FesPIM), promovida pela Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) e Instituto de Inteligência Socioambiental Estratégica da Amazônia (Piatam). O evento será em Brasília, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães.

******************************************

O Instituto TIM, em parceria com o Instituto Gerando Falcões, está com inscrição aberta para o edital ‘Fortalecendo Redes´ até a quarta-feira (8/11) para ONGs que atuem com projetos sociais voltados a crianças e jovens, com foco em cultura, esporte, lazer e educação. Para essa iniciativa, a entidade irá destinar R$ 1 milhão. Para outras informações e inscrição, basta acessar o link (https://l1nq.com/1IgMr).

******************************************

O IPOG Manaus irá apresentar a palestra gratuita ‘Alterações nas alíquotas de ICMS 2023/2024 e os impactos na tributação’, na quinta-feira (9/11), às 19h, na unidade do Shopping Ponta Negra. Outras informações e inscrição, basta acessar o link (https://encurtador.com.br/adW67).

Em parceria com a TrashIn, startup especializada na gestão de resíduos e logística reversa, a marca busca conscientizar os consumidores sobre o descarte adequado, fazendo a reciclagem de chinelos antigos com a ajuda de cooperativas e parceiros. O processo começa com a coleta das sandálias na urna coletora das lojas. Depois, elas são levadas às cooperativas ou parceiros recicladores mais próximos. Então, o material passa por uma triagem e ganha um novo ciclo de vida, se transformando em outros objetos úteis no dia a dia, como pisos, pneus de carrinho de mão, revestimentos para mobiliário e até mesmo em acessórios, como vasos, bolsas, carteiras e estojos.

Cristina Monte

Cristina Monte é articulista do caderno de economia do Jornal do Commercio. Mantém artigos sobre comportamento, tecnologia, negócios.
Compartilhe:​

Qual sua opinião? Deixe seu comentário