Erradicação da febre aftosa no Nordeste é tema de reunião

A definição de ações efetivas para erradicar a febre aftosa nos Estados do Circuito Pecuário Nordeste é tema da reunião que acontece hoje e amanhã, em Fortaleza (CE), com a presença do secretário de Defesa Agropecuária, Inácio Kroetz, e representantes dos serviços veterinários estaduais da região.
Durante a reunião também serão apresentadas as ações já desenvolvidas pelo Ministério da Agricultura e pelos Estados para prevenir a doença. Hoje, três (Maranhão, Pernambuco e Rio Grande do Norte) dos sete Estados que compõem o Circuito Pecuário Nordeste possuem status sanitário de risco médio para a doença e os demais têm risco desconhecido (Alagoas, Paraíba, Piauí e Ceará). Em toda a região Nordeste, Bahia e Sergipe são consideradas livres de febre aftosa com vacinação.
De acordo com o secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, o aperfeiçoamento da estruturação de serviços veterinários, a ampliação da cobertura vacinal e o uso da tecnologia da informação são as principais ações para prevenir a ocorrência da doença na região.
Kroetz explicou que a doença é de rápida disseminação e seus sintomas podem ser confundidos com os de outras enfermidades. “A situação em relação à febre aftosa é o termômetro para se medir a eficiência de um serviço veterinário em uma região ou país. Quem controla ou erradica a aftosa tem condições de controlar outras enfermidades do rebanho. Por isso, o nosso empenho para cumprir a meta brasileira de erradicar a doença em todo o país até 2010“, completou.
O secretário reforçou ainda que a erradicação da aftosa em todo o território nacional credencia o Brasil a acessar mercados importantes, como os Estados Unidos, Japão e Coreia do Sul, países que exigem essa condição para importar carne.

Situação brasileira

Atualmente, quase 60% do território brasileiro é livre da doença, onde estão localizados 89% do rebanho nacional. São 14 Estados e o Distrito Federal considerados livres da aftosa com vacinação, além de Santa Catarina que é livre da doença sem vacinação, condição reconhecida pela Organização Internacional de Saúde Animal. São classificados como área livre: Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Sergipe, Tocantins, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, São Paulo, Rondônia, Rio Grande do Sul, Acre (mais dois municípios do Amazonas) e região Centro-Sul do Pará e o Distrito Federal.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email