1 de julho de 2022
Prancheta 2@3x (1)

Entre vinis e livros se faz uma feira criativa

Mais um empreendedor cultural organiza um evento, em Manaus, com apoio mínimo dos órgãos de cultura. No sábado (4), a partir das 16h, o livreiro Fernando de Souza Coelho promove a primeira edição da Feira de Disco de Vinil, na praça Antônio Bittencourt, a popular praça do Congresso.

Há cinco anos Fernando é permissionário do box Art Vinil, localizado na praça, que anteriormente pertencera a Antônio Diniz, um dos maiores livreiros que Manaus já conheceu, e que faleceu em fevereiro de 2020.

“Há anos eu sou livreiro. Vendia na Feira da Eduardo Ribeiro, na Ufam, na FUÁ (Feira Urbana de Alternativas), mas agora estou somente neste ponto fixo, aqui na Art Vinil”, contou.

“Como é um sábado, o ideal era que a Feira de Disco do Vinil acontecesse durante o dia inteiro, mas não conseguimos as barracas, então tivemos que mudar para um horário em que o Sol está mais ameno”, explicou.

Já estão confirmados para esta primeira edição da Feira: Sebo Edipoeira, Geek’s Love, Toca do Vinil, Dji Artes, e Banana Chips, além do Sebo O Alienista. Celestino Neto, livreiro proprietário do O Alienista levará sua famosa kombi literária, que já faz bastante sucesso no meio literário caboclo, chegando aos lugares abarrotada de livros.

“Estamos abertos a interessados em montar sua barraca durante a Feira. Queremos movimentar a praça. A taxa são R$ 35, para pagarmos o aluguel dos banheiros químicos”, adiantou Fernando.

Durante a Feira, que segue até 21h, serão comercializados vinis, CDs, DVDs, livros, e HQs. Outras informações pelo 9 9386-1506.

Kombi do Celestino

Celestino Neto é o livreiro mais antigo de Manaus, em atividade. Ele começou vendendo livros, há mais de 30 anos, na Ufam. Depois viajou para Belém, Fortaleza, Recife e Salvador produzindo cordéis com suas poesias e vendendo nas ruas dessas capitais. De volta a Manaus há mais de 20 anos, Celestino passou a vender livros numa banca, na praça Heliodoro Balbi, a praça da Polícia, e hoje é permissionário do box O Alienista, nesse mesmo local. Também possui uma barraca na Feira da Eduardo Ribeiro há exatos 22 anos. Na próxima sexta-feira (10), a Feira completará 22 anos. Mas a última novidade do livreiro é a Kombi do Celestino, que ele comprou literalmente ‘caindo aos pedaços’, e desde então vem restaurando à medida que o dinheiro entra.

“Este ano fui contemplado no edital Manaus Faz Arte, da ManausCult, e como contrapartida a Kombi visitou os bairros Monte das Oliveiras, Colônia Antônio Aleixo e Santa Etelvina, onde deixei uma geloteca em espaços culturais de cada um desses bairros. A geloteca é uma geladeira cheia de livros que as pessoas podem pegar para ler, levar, se quiserem, e trazer novos. Os espaços culturais ficam responsáveis pela geloteca e, de tempos em tempos, volto a abastecê-la com mais livros”, revelou.           

Na Feira de Disco do Vinil a Kombi do Celestino estará presente abastecida com livros, CDs, DVDs e vinis. O veículo, inteiramente pintado pelo artista plástico Marius Bell, pode ser visto todos os domingos nas proximidades da Feira da Eduardo Ribeiro e está liberado para selfies. A Kombi do Celestino aceita convites para se fazer presente em eventos culturais. Informações: 9 9185-6573.

Importância das frutas

Também no sábado, a partir das 19h, na Loppiano Pizza (rua Major Gabriel, 1080, esquina com av. Ayrão), o empreendedor e escritor Luiz Lauschner irá lançar seu quinto livro ‘Morrer não é preciso’. O livro destaca o potencial da floresta amazônica enquanto uma grande e importante farmácia natural.

Lauschner é catarinense, de Itapiranga, onde fundou a indústria de móveis Lauschner Ltda. Já em Maués, no Amazonas, fundou a Maués Serviços Ind. e Com. Ltda. É bastante conhecido por ser o proprietário do Porão do Alemão, administrado por seu filho. Desde 2001. Lauschner escreve principalmente romances.

Em ‘Morrer não é preciso’ o autor fala sobre as frutas que se perdem na selva amazônica e que poderiam acabar com a fome no mundo, gerar riquezas e prolongar a vida das pessoas. O livro tem sua trama na cidade de Maués, município onde pesquisas mostram que a população tem a vida mais longeva do país, não só pelo guaraná, mas por uma conjugação de fatores como bela região, vida tranquila, plantas como remédios naturais e frutas.

“As frutas também são capazes de curar muitas doenças e livrar o ser humano de alguns males. Trata-se de uma história que une ficção e realidade de uma forma instigante para que o leitor não consiga parar de ler”, afirmou.

‘Morrer não é preciso’ tem 280 páginas e foi editado pela Editora Schreiben. Durante o lançamento a atração musical será o maestro Wanderlan. Informações: 9 8163-5158.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Anúncio

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email