ENERGIA – Dilma sanciona lei que permite reduzir conta dos consumidores

A presidente Dilma Rousseff sancionou ontem a lei que prorroga as concessões do setor elétrico e dá condições para a redução nas tarifas de energia. Seis itens aprovados pelo Congresso Nacional, em 18 de dezembro, foram vetados.
Um deles previa a imposição de padrões de saúde e segurança para as empresas que aderissem as novas regras.
De acordo com o texto da presidente, o texto exigia que a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) seria responsável por criar essas condições. Essa determinação faria com que a agência fugisse à sua competência.
Essa proposta, incluída durante discussão do texto no plenário da Câmara dos Deputados, fazia parte da lista de mais de 430 emendas recebidas durante tramitação do texto no Congresso.
A presidente também vetou um item que previa a devolução de valores arrecadados pela Taxa de Fiscalização de Serviços de Energia Elétrica “em prol da modicidade tarifária “, ou seja, para aumentar os descontos dados aos consumidores.
O impacto deste repasse nas tarifas não foi divulgado. Como previsto no acordo para a renovação das concessões, o governo espera alcançar uma redução equivalente a 20% na conta de luz dos consumidores, como anunciado pela presidente Dilma no ano passado. A meta ficou mais distante quando concessionárias como a Cesp e a Cemig se recusaram a aceitar os termos do governo propostos para o plano de redução.
A medida ganhou neste começo de ano um novo agravante. O baixo nível de reservatórios, devido à falta de chuva, exigiu a ligação das térmicas a todo vapor.
A utilização do esforço adicional de geração, que chegou a provocar temor de que o país pudesse enfrentar um novo racionamento neste ano, tem impacto nos consumidores porque o custo da energia é maior.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email