Empresas tailandesas de olho no PIM

A Suframa (Superintendência da Zona Franca de Manaus) recebeu semana passada a visita do embaixador da Tailândia no Brasil, Tharit Charungvat. O diplomata veio aferir a possibilidade de instalação de empresas tailandesas no PIM (Polo Industrial de Manaus).
A maior interessada até o momento foi uma empresa de autopeças, atuante no setor de carros utilitários. A empresa já havia visitado outros Estados, mas de acordo com o superintendente da Suframa, Thomaz Nogueira, as negociações com a autarquia amazonense são muito concretas “não tenho dúvidas que a ZFM (Zona Franca de Manaus) é a melhor porta de entrada para o Brasil”, frisou Nogueira durante a explicação sobre o funcionamento do modelo.
Durante a apresentação ao embaixador tailandês, foi detalhada a concessão de incentivos fiscais, a importância estratégica da ZFM para o país e as vantagens competitivas de se investir no PIM, como segurança jurídica e o positivo ambiente para se fazer negócios.
A explanação das propostas serviu para tirar as dúvidas dos investidores sobre o modelo Suframa e principalmente esclarecer detalhes técnicos quanto à logística, que tem as distâncias como principal entrave, “apesar dessas dificuldades logísticas produzimos e entregamos em qualquer lugar do Brasil praticamente 100% dos televisores e motocicletas feitos no país e 60% dos telefones celulares”, observou Nogueira.
O superintendente explicou os incentivos fiscais são justamente para minorar as dificuldades logísticas, ressaltando o trabalho do governo federal para superá-las e as soluções para quem quer atingir os grandes centros consumidores do Brasil, como os entrepostos da ZFM instalados em Uberlândia (MG) e Resende (RJ).
A Suframa recebe constantemente delegações de empresas asiáticas em busca de informações sobre logística e demonstram interesse em produzirem no Brasil, como foi o caso de uma delegação japonesa que esteve na última quarta feira (24) em conversa com o superintendente.

Interesse

Tharit Charungvat ressaltou que o Brasil é o parceiro comercial número um da Tailândia na América Latina – somente no ano passado, as exportações do Brasil para o país asiático movimentaram US$ 2,4 bilhões e as importações movimentaram US$ 2,2 bilhões – e que é interesse do país estreitar ainda mais as relações. Ficou combinado um novo encontro entre a SUFRAMA e a embaixada em São Paulo, onde reside o adido comercial da Tailândia no Brasil, Khamhaeng Klasukhon, que também esteve em Manaus.

Um novo mercado asiático

A Tailândia é apenas a porta de entrada para a Asean, área de livre comércio que entrará em vigor em 2015 e inclui Indonésia, Malásia, Filipinas, Cingapura, Brunei, Vietnã, Mianmar, Laos e Camboja. Trata-se de um mercado com mais de 600 milhões de consumidores. Juntos, esses países têm um PIB (Produto Interno Bruto) de quase US$ 1 trilhão.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email