Empresas investem na promoção do etanol brasileiro no exterior

A Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos) e a Unica (União da Indústria de Cana-de-Açúcar) estão unindo esforços para promover a imagem do etanol brasileiro de cana-de-açúcar como energia limpa e renovável no exterior. As duas entidades assinaram ontem, em São Paulo, um convênio que prevê investimentos no valor de R$ 16 milhões até o final de 2009.
O projeto a ser desenvolvido pela Apex-Brasil e pela Unica compreende a sensibilização e capacitação da oferta de etanol brasileiro, estudos de inteligência comercial e, principalmente, ações de promoção de imagem e de promoção comercial, incluindo a abertura de escritórios de representação no exterior.
Os mercados-alvo são países da América do Norte, Europa e Ásia. O primeiro escritório de representação já foi instalado nos Estados Unidos, em Washington –local considerado estratégico para a atuação junto ao governo americano e aos formadores de opinião. O segundo deverá ser instalado em Bruxelas, Bélgica, e o terceiro em um país asiático a ser definido.
Já no início de março, o projeto estará presente em dois importantes eventos mundiais. A Wirec 2008 (Washington International Renewable Energy Conference) vai reunir, de 3 a 7 de março nos Estados Unidos, representantes governamentais, da sociedade civil e do setor privado de diversos países para discutir o uso de energias renováveis. Na Europa, o tema será discutido durante o World Biofuels Markets Congress, em Bruxelas, de 12 a 14 de março.
Nos dois eventos, representantes da Unica promoverão o etanol brasileiro em apresentações nas conferências e nos stands do projeto montados nos pavilhões de exposições. A participação nos eventos será uma oportunidade de divulgar as vantagens comparativas da produção de etanol a partir de cana-de-açúcar e realizar contatos com o intuito de expandir a interação da associação com representantes do mercado internacional. Durante a Wirec, a Unica e a Apex-Brasil realizarão ainda um evento em parceria com o Brazil Institute of the Woodrow Wilson Center for Scholars, para abordar um ano de existência do Memorando de Entendimentos sobre Biocombustíveis entre Brasil e Estados Unidos.

Projeto favorece cadeia produtiva

Além de beneficiar diretamente as 107 empresas associadas à Unica e as demais 243 unidades processadoras do setor sucroalcooleiro localiza­das em todo o país, o projeto vai favorecer também a cadeia produtiva do etanol de cana-de-açúcar, que inclui a pesquisa em biotecnologia para novas variedades de cana, os fornecedores de insumos e equipamentos, produtores de cana, tradings, indústrias, logística e variados prestadores de serviços.
“A demanda mundial por bicombustíveis é ca­da vez mais crescente e o etanol brasileiro produzido com cana-de-açúcar se destaca como a alternativa mais viável, com vantagens comparativas e competitivas frente ao milho, trigo, beterraba e outras matérias primas”, ressaltou o presidente da Apex-Brasil, Alessandro Teixeira. “O Brasil hoje produz um terço do etanol mundial, com o menor custo de produção, maior eficiência na redução das emissões de gases poluentes e elevado potencial para expansão da produção. Precisamos mostrar isso ao mundo”, complementou.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email