Empresas economizam com mecanismos de controle fiscal

No Brasil existem mais de cem tipos de documentos fiscais que servem para documentar a realização de uma operação comercial.

Os novos mecanismos de controle fiscal eletrônico, como nota fiscal eletrônica e certificação digital, deverão render bons resultados não apenas ao fisco, mas também às próprias empresas –seja ela de micro, pequeno ou grande porte. Estima-se que o custo total de emissão de uma única nota fiscal de papel varie entre R$ 3 e R$ 4. Com a novidade, os custos operacionais caem e ficam entre R$ 1 e R$ 2. A informação é do professor universitário e diretor de alianças da Mastermaq Sofwares, Roberto Duarte Dias.
Com 90% do universo de empresas no país formada pelas micro e pequenas, a ressalva é para que se preparem para a nova fase de controle sobre as movimentações fiscais e financeiras, principalmente qualificando os profissionais para a nova realidade.

Tendência é que preço de máquinas diminua com adoção dos sistemas

Os custos com equipamentos necessários pa­ra os novos controles eletrônicos não devem ser dor de cabeça para ninguém, segundo Dias, uma vez que já se pode observar uma redução nos preços.
Ao longo dos próximos anos, espera-se que todas as empresas brasileiras participem do Sped (Sistema Público de Escrituração Digital). “Os grandes fornecedores já perceberam que o mercado tornou-se limitado para as grandes ­empresas –elas são menos de 1% do total de organizações privadas na­cionais. Com isso, elas estão começando a mirar nas pequenas para ampliar as vendas”, observou o administrador.
“O Sped já está substituindo a emissão de notas fiscais de papel e a ­entrega de algumas obrigações acessórias. Seja por ­imposição dos principais players da cadeia de produção ou por imposição do fisco, todas vão entrar no sistema”, comentou o diretor. “O cerco está se fechando e vai ficar cada vez mais caro sonegar”, enfatizou.

Janela de
oportunidades

Para Roberto Dias, o momento é oportuno também para os profissionais de contabili­dade. Em função da elevada carga tributária –são mais de 76 tributos que incidem sobre renda, produção, consumo e patrimônio, além de mais de 170 obrigações acessórias que variam conforme o ramo de atividade, o tributo que recolhe e o Estado em que opera, a manutenção de um contador para gerir essa as ­questões burocráticas ainda é distante para muitas ­empresas.

Auxílio ao
empreendedor

No Brasil, existem mais de cem tipos de documentos fiscais que servem para documentar a realização de uma operação comercial. “A maior parte dos trabalhos de um escritório contábil é de escrituração. Com as mudanças eletrônicas, o profissional terá mais tempo para auxiliar os empresários na tomada de decisões”, afirmou.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email