Empresas do polo de software geram R$ 1,6 milhão por ano

O AmazonSoft (Polo de Software do Amazonas), programa prioritário do Cide (Centro de Incubação e Desenvolvimento Empresarial), movimenta R$ 1,66 milhão por ano no Estado do Amazonas. São 21 empresas da área de TI (Tecnologia da Informação) com projetos inovadores em fase de desenvolvimento ou conclusão. O polo funciona desde outubro de 2002 e apenas três empresas são responsáveis por R$ 1,2 milhão do volume de negócios gerados anualmente.
Sendo um dos sete programas prioritários escolhidos pelo Capda (Comitê das Atividades de Pesquisa e Desenvolvimento na Amazônia), o AmazonSoft é voltado para o desenvolvimento do grupamento de empresas de software do Estado.
O polo está sediado no Cide e tem a missão de contribuir para o progresso científico-tecnológico, econômico e social da Amazônia e do Brasil, como explicou o diretor do Cide, Eduardo Pedro. “O AmazonSoft existe justamente para suprir a necessidade das empresas locais e do restante do Brasil, quando a produção de softwares e produtos tecnológicos para resolver problemas pontuais”.
Entre os projetos de “maior destaque”, segundo o diretor do órgão, estão a caneta e o livro interativos. Criados pela empresa Pentop, os produtos são indicados para auxiliar na alfabetização de crianças e adultos, no processo de ensino de idiomas e ajuda as pessoas com deficiências auditivas ou visuais.
A caneta funciona com um dispositivo que reconhece o material publicado no livro interativo e sonoriza o texto ou imagem do papel, através de saídas de som estéreo ou fones de ouvido. “Essa caneta permite que pessoas com dificuldades auditivas ou visuais estudem com as mesmas condições de quem não tem limitações, além de servir com pendrive, gravador de voz e mp3 player com 4 gigabytes de memória”, ressaltou a diretora-executiva da Pentop e pedagoga, Danielle Albuquerque.
Os dois produtos devem custar entre R$ 250 e R$ 270. Considerando que a mesma caneta interativa é utilizada para várias finalidades, o “investimento vale a pena porque apenas os livros serão trocados”, avaliou Danielle.

Incubação é dividida em quatro fases

O processo de incubação de empresas é dividido em quatro fases. A primeira é chamada de instalação, compreendendo a constituição do empreendimento, instalação e início do desenvolvimento do produto. No “crescimento” – segunda etapa – ocorre a evolução técnica e financeira e o início da comercialização do produto.
A terceira fase é composta pelo fortalecimento do empreendimento e a quarta pela saída (desincubação) da empresa do Cide.
As empresas incubadas têm disponível uma série de serviços, que incluem desde equipamento de comunicação como telefone, fax e acesso à internet, passando por treinamentos e desenvolvimento do produto ou serviço, até consultorias específicas côo econômicas ou jurídicas. “A empresa incubada só precisa fazer aquilo que se propôs quando entrou no Cide, que nós oferecemos todo o aparato para que o produto seja concluído no final do prazo”, garantiu Pedro.
Com 1.750 metros quadrados de área construída, o Centro de Incubação e Desenvolvimento de Empresarial possui salas para recepção, secretaria, reunião, treinamento, biblioteca, auditório, laboratórios, copa e sanitários de uso comum das empresas. Além disso, existem 14 módulos com 125m² cada, destinados aos empreendimentos incubados.

Manutenção do AmazonSoft

O AmazonSoft é mantido financeiramente por quatro instituições: Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial), Sebrae/AM (Serviço de Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Amazonas.), Fieam (Federação das Indústrias do Estado do Amazonas) e Cieam (Centro das Indústrias do Estado do Amazonas). Há outras organizações que apóiam o conjunto de empresas como Inpa (Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia), Fucapi (Fundação Centro de Análise, Pesquisa e Inovação Tecnológica) e Suframa (Superintendência da Zona Franca de Manaus).
As empresas interessadas no Polo de Software do Amazonas devem procurar o Cide e apresentar seu plano de negócios. Um comitê de avaliação técnica expedirá parecer sobre a proposta de ingresso no AmazonSoft e, caso aprovado, o interessado tem que constituir personalidade jurídica para assinatura do contrato.
O Cide está localizado na Avenida General Rodrigo Otavio, nº. 1.866, bairro São Lázaro, zona Sul da capital amazonense. Outras informações estão disponíveis no telefone (92) 3212-3892.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email