Empresas de “brindes” alegam 2011 equilibrado

Alguns estabelecimentos apontaram que ano passado foi de retenção para investir em brindes para os clientes

Com o intuito de conquistar e até fidelizar o seu público-alvo as empresas utilizam brindes promocionais que, além de agradar o cliente, também faz propaganda de seu negócio. De acordo com empresários manauenses que atuam nesse segmento hoje há inúmeros produtos no mercado, custando a partir de R$ 0,80 até R$ 6 mil, dependendo da quantidade, que vão desde os tradicionais chaveiros, canetas, que são os campeões de vendas, até itens ecológicos, confeccionados com materiais reciclados.
De acordo com Denise Moura, funcionária da Personal Brindes, localizada no centro da cidade, 60% dos brindes comercializados no estabelecimento são de canetas e chaveiros. “Seguido estão as placas de homenagem”, disse a auxiliar administrativa.
Ela disse acreditar que os brindes são, inclusive, uma forma de agradecimento ao cliente e de mostrar a importância dele para a empresa. “Por isso a época de maior venda são o fim de ano, que é quando as pessoas geralmente gostam de presentear”, afirma Denise, que conta que início do ano o movimento é mais fraco, devido grande parte das empresas estarem de recesso.

Ano equilibrado

O ano de 2011 foi equilibrado nas vendas, por conta do receio dos empresários em virtude das crises econômicas. “E por causa disso, o setor de marketing é sempre o primeiro a sofrer cortes de orçamento”, apontou a funcionária da Personal Brindes, que tem grande parte dos clientes na área industrial.
Segundo o empresário, Pedro do Santos Tiradentes, proprietário da Santos Comunicação, Centro, não há um setor específico, desde empresas de pequeno ao grande porte e repartições públicas se interessam em agradar os seus clientes através dos brindes. “Sou um dos poucos estabelecimentos de Manaus que possui uma variedade grande de produtos”, destacou o comerciante.
Tiradentes comentou que procura todos os anos ampliar a gama de brindes oferecidos, alguns importados, vindo da China, Alemanha e Estados Unidos. “Muitos produtos comprados em outros países, como a China, possuem preços mais em conta que os produzidos em solo brasileiro”, informou.

Brindes ecológicos

Quanto aos brindes ecológicos, como caneta de papelão e ecobags, não são tão procurados devido aos preços mais elevados, é o que diz a gerente da Marca Brasil, Mariete Marques. De acordo com ela, muitos empresários até querem solicitar produtos sustentáveis, mas acabam perdendo o interesse por conta do valor.
Para a gerente, a caneta é campeã de vendas pela utilidade que o objeto possui e o baixo custo. “E com ela é fácil abranger o público que o empresário deseja”, aponta a gerente do estabelecimento, que possui entre seus clientes instituições de ensino e empresas privadas.
Mariete frisa que a cidade está crescendo no setor de brindes, embora ainda haja a concorrência com as empresas de outros Estados que vendem seus produtos via internet. “Mas o diferencial é que os estabelecimentos daqui passam mais confiança, já que pela internet os produtos correm o risco de vir errado, além do frete que é cobrado”, acrescentou.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email