Empresários são homenageados com Medalha de Mérito Empresarial

Mais cinco empresários de destaque receberam a Medalha de Mérito Empresarial J.G. Araújo, da ACA (Associaçào Comercial do Amazonas), durante o evento que celebrou os 138 anos da entidade.
Na década de 40 a ACA agregava toda classe empresarial do Estado.
A Medalha J.G.Araújo é entregue há 23 anos pela Associação Comercial do Amazonas e já homenageou 115 pessoas.
Durante a cerimônia o empresário o empresário Mário Expedito Neves Guerreiro, que também é presidente do Conselho Superior da ACA, também recebeu o título de Sócio Benemérito da Entidade, que é entregue há 70 anos. Neste período apenas 21 pessoas foram agraciadas com o título.
Representando Mário Expedito estava o amigo e empresário Aderson Frota.
Receberam a Medalha J.G. Araújo o presidente da Sociedade Beneficente Portuguesa, Alfredo Monteiro Vieira; a empresária da creche Bebê Bombom, Annik Valentine Franco de Sá Barbosa; o economista José Carlos Reston; o proprietário da J.B. Veículos, Jurandyr de Britto Souza; e a dirigente da Ótica A Especialista, Therezinha de Jesus Rodrigues Trindade.
A empresária Annik Valentin Franco de Sá Barbosa, da Creche Escola Bebê Bombom e Colégio Connexus, já atua há 23 anos no mercado de Manaus e emprega 70 colaboradores.
Para ela, ter recebido este reconhecimento lhe inspira a continuar no caminho de retidão dedicada ao ofício e investir no aperfeiçoamento do serviço que oferece à comunidade amazonense em geral.
O empresário Jurandyr de Britto Souza, da J.B Veículos Ldta., agradeceu à ACA pelo reconhecimento ao trabalho empresarial que desenvolve em Manaus desde 1969, passando pelos segmentos de autopeças, distribuição de tintas, lâmpadas automotivas, carros importados e construção de imóveis. Há anos ele também integra o corpo diretivo da ACA.

Atuação no comércio é destacada

O presidente da Sociedade Beneficente Portuguesa, Alfredo Monteiro Vieira, lembrou que a ACA e a Beneficente são entidades centenárias em Manaus, sendo que a Beneficente é mais nova apenas dois anos. “Para mim é uma grande honra receber a Medalha J.G. Araújo, que também foi patrono da entidade que dirijo”, disse ele.
A empresária Therezinha Ruiz Rodrigues de Andrade, proprietária de 16 lojas da Ótica A Especialista em Manaus, empregando 130 pessoas, fez menção ao trabalho do esposo, já falecido, Raul Antunes da Trindade, que começou o empreendimento há 47 anos.
Outro homenageado com Medalha J.G.Araújo, foi José Carlos Reston, cujo trabalho foi também muito destacado no discurso do empresário e diretor da ACA, Milton de Magalhães Cordeiro. Reston trabalhou na Codeama; foi coordenador do Núcleo de Assistência Industrial do Amazonas que, a partir de 1975, passou a se chamar Centro de Apoio Gerencial às Pequenas e Médias Empresas e, em 1990, Sebrae -AM (Serviço Brasileiro de Apoio as Micro e Pequenas Empresas).
Reston foi eleito, de maneira quase ininterrupta, de 1990 a 2009, diretor superintendente do Sebrae-AM, completando um ciclo de 35 anos de dedicação às pequenas e micro empresas no Estado do Amazonas.

Caminho é continuar com investimentos, diz secretário

O evento foi prestigiado por personalidades de destaque da sociedade amazonense como o secretário da Sefaz, Isper Abrahim, que representou o governador Eduardo Braga; o presidente em exercício do Tribunal de Justiça do Amazonas, João Abdala Simões; representante do Comando Militar da Amazônia, Ten.Cel.Aluízio Ribeiro Filho; o capitão de Fragata Ézio Demarco Júnior; o senador Jefferson Praia; a deputada federal Vanessa Graziottin; o secretário da Sepror, Eron Bezerra; o presidente da Fecomercio, José Roberto Tadros; o superintendente do Banco do Brasil, Rui Saturnino Ruas; e o empresário e jornalista Phelippe Daou, que é membro do Conselho Superior da ACA.
O presidente da ACA, Gaitano Antonaccio, no encerramento da solenidade, falou de sua experiência de estar há um ano na direção de uma associação que reúne homens que são grandes dirigentes em suas empresas, observando que está se empenhando em atender às expectativas empresariais tentando romper barreiras através da provocação de mudanças.
“Não se pode manter o mesmo discurso se o mundo não é o mesmo”, disse ele, referindo-se às ações de expansão da oferta de serviços da ACA; às parcerias com várias entidades co-irmãs, feitas visando aumentar a arrecadação tributária do Estado e reduzir a informalidade e também fazendo menção à extensão das ações da associação centenária também a empresários do interior do Estado.
Falando em nome do governo do Estado, o secretário da Sefaz, Isper Abrahim, disse que o caminho é continuar investindo na preservação da Zona Franca de Manaus e das empresas locais e, concordando com Antonaccio, ressaltou a necessidade de buscar alternativas de desenvolvimento nos municípios.
A Medalha J.G. Araújo é ofertada a empresários que são exemplos para sociedade.
Foi instituída pela entidade em 1985 e é um reconhecimento àqueles que representam os mais altos princípios morais, norteadores do comportamento individual e coletivo; do devotamento às atividades empresariais e sociais e de ajuda ao desenvolvimento econômico, político, social e cultural, especialmente em defesa dos interesses do Amazonas, e que tenham prestado apoio decisivo, direta e indiretamente, no seu trabalho pela preservação da livre empresa.
O patrono da medalha, Comendador Joaquim Gonçalves de Araújo, chegou em Manaus em 1871 e investiu no crescimento econômico do Estado.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email