Empresários faturam com ‘boom’ no mercado de lutas

Empresários aproveitam o bom momento das lutas marciais no Brasil, e oferecem diferentes produtos para a modalidade esportiva. Em São Paulo, é possível alugar um octógono para eventos de MMA e até comprar camisetas, bermudas e protetores bucais em quiosques de shopping.
Em 2011, o empresário Ricardo Maitino montou um quiosque inspirado pelo MMA: em octógono, o mesmo formato com oito lados onde acontecem as lutas. No local, cheio de prateleiras e armários nos cantos, são vendidos shorts, luvas, bonés, camisetas para treino. O negócio fatura com a onda MMA: em média cada cliente gasta R$ 200 por compra.
A ideia deu certo, e Ricardo abriu mais dois quiosques, todos com a mesma estratégia comercial.
“Então a gente partiu para dois shoppings que são bem conhecidos por ter um fluxo bem grande em São Paulo, uns dos maiores de São Paulo mesmo, e a gente tem focado nesses shoppings onde ainda não tem uma concorrência direta”, conta o empresário.
O quiosque é de ferro e madeira. Cada lado do octógono tem um chamariz: fotos, vídeos transmitindo lutas, e produtos, para todos os gostos e bolsos. O investimento no negócio foi de R$ 200 mil, para desenvolver o octógono e fazer estoque. São 300 itens no espaço de 9m2, sempre com logos ou imagens relacionadas ao MMA. Boné a R$ 80, luva por R$ 285, camisetas de R$ 40 a R$ 140.
A vantagem do quiosque é que não há cobrança de luvas, que podem chegar a R$ 1 milhão numa loja de shopping. A desvantagem é o pequeno espaço, que o empresário sabe driblar.
“A gente trabalha com reposições semanais dos produtos do quiosque. A gente tem um estoque fora dos shoppings, um centro de distribuição onde a gente tem os produtos, e conforme eles vão saindo durantes a semana vamos repondo eles”, conta Ricardo
O quiosque atende 220 clientes e fatura R$ 35 mil por mês.

Aluguel de ringue

Faixa preta de jiu-jitsu, o empresário Fabio Godoy viu a oportunidade de lucrar nesse mercado em 2005. Ele construiu um octógono de verdade e aluga o ringue para as lutas de MMA. O empresário investiu R$ 100 mil no negócio. Com o dinheiro, alugou um espaço e construiu dois octógonos, com uma característica essencial para o mercado de lutas: a super resistência. A estrutura é toda de ferro, tela de ferro, travessão e coluna com barras de 10 kg no meio.
Cada octógono custou para o empresário R$ 30 mil. Ele cobra R$ 3,500 de aluguel por dia, e faz quatro eventos por mês. Tirando os gastos com transporte, montagem e pequena manutenção, cada octógono rende líquido para a empresa R$ 10 mil por mês, e paga o investimento em 90 dias.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email