Empresários buscam revigorar Polo

Idealizado para ser um potencial conjunto de pequenas fábricas e empreendimentos dentro do Programa de incubadoras da Fieam (Federação das Indústrias do Estado do Amazonas), o Polo de Moda do Amazonas chega a seu quarto ano no mercado com apenas 4 empresas em funcionamento. Apesar de estar com mais de 70% da estrutura vazia e não gerar emprego e renda em escala produtiva, os pequenos empresários resistem e projetam melhorias para o futuro.
O estilista e designer de moda Oziel Pacheco e o costureiro Oziel Costa comemoram o desempenho da Trama Collections após três anos de incubação no Polo de Moda do Amazonas. A marca é uma das quatro “sobreviventes” do projeto que surgiu em 2009 com o objetivo de fortalecer empreendedores no ramo comercial do vestuário.
Atuante no mundo da moda desde os 16 anos, Costa iniciou sua carreira como menor aprendiz do Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial). Hoje, aos 29 anos, coleciona viagens e prêmios conquistados. “Fomos conferir as novidades em tendências no São Paulo Fashion Week em março deste ano. Lá, pudemos reciclar idéias e adquirir novos conhecimentos”, comemora.
Com o gasto médio mensal de R$ 1,5 mil, a dupla consegue administrar a incubadora ainda dentro da filosofia de ateliê –que trabalha com peças sob medida. “O próximo passo é abrirmos uma loja, mas o ateliê não vai deixar de existir”, garante o costureiro.
De acordo com o empresário, estar no Polo de Moda tem aberto portas e ampliado a cartela de clientes. “Nossa melhor propaganda é o ‘boca a boca’ e com a estrutura que temos aqui, podemos abraçar mais projetos”, explica e acrescenta que, nos casos de pedidos maiores, contratam profissionais temporários.

Apoio do Sebrae-AM

A jornalista e estilista Cris Batista também integra o projeto do Polo de Moda do Amazonas através do Sebrae/ AM (Agência de Apoio ao Empreendedor e Pequeno Empresário), no entanto o seu ateliê não está localizado no complexo da Alvorada. Desde 2007 no mercado com a marca Santa Cris, ela dedica à agência o crescimento de sua empresa. “O investimento deles na profissionalização do setor é alta”, destaca.
Em 2012, Batista não só esteve no São Paulo Fashion Week como expôs a coleção Grafite (com peças personalizadas assinadas por artistas amazonenses). O resultado da exposição foi o registro de uma de suas peças no livro de tendências de Nova York. “As pessoas vêm para a Amazônia e falam da fauna e da flora. Se eu puder levar para outros lugares a moda daqui, já estou recompensada”, comemora.

Mais sobre o Polo de Moda

A ferramenta foi criada em 28 de maio de 2009 através de uma parceria da Fieam (Federação das Indústrias do Estado do Amazonas) com o SINDCONF (Sindicato das Indústrias de Confecções de Roupas e Chapéus, Material de Segurança e Proteção do Estado do Amazonas).
O espaço conta com locação para dez empresas incubadas residentes e sete não-residentes. As organizações associadas produzem confecção de moda feminina, infantil, íntima, praia e acessórios para atender as necessidades dos lojistas locais e de outros Estados.
O processo de incubação é de três anos, sendo que as empresas associadas recebem capacitação técnica e empresarial; auxílio administrativo, de comunicação, marketing e design; e colaboração na criação das coleções.
Atualmente, apenas quatro empresas funcionam no Polo. São elas: Pérolas da Amazônia, Tramas, Moda Flores Amazônia e Maira Cruz.
O Polo está localizado na rua Vivaldo Lima, nº 405 – Alvorada I e funciona de segunda a sexta, das 9h às 17h, e aos sábados de 9h às 12h.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email