Empresários amazonenses vão à Tailândia

Empresários do Amazonas deverão realizar, em maio, viagem à Tailândia para prospectar negócios no país asiático, por ocasião da Thaifex – Thai World of Food Asia, do segmento de alimentação e agricultura, a convite do embaixador da Tailândia, Pitchayaphant Charnbhumidol.
O assunto, discutido no Seminário de Oportunidades Tailândia – Amazonas, organizado pela Federação das Indústrias do Estado (FIEAM), por meio do Centro Internacional de Negócios (CIN/Amazonas), nesta terça-feira, 24. Na ocasião, a FIEAM apresentou o potencial de negócios entre a indústria local com o país asiático.
A programação, aberta pelo vice-presidente da FIEAM, Sócrates Bomfim, contou com a presença da comitiva tailandesa formada pelo embaixador e representantes dos setores agrícola e industrial do Amazonas.
Bomfim destacou o encontro que mobilizou associações e empresários dos setores industriais e primários. Já o gerente executivo do CIN/Amazonas, Marcelo Lima, informou que o Centro tem a missão de fortalecer a indústria, firmando relações comerciais que incentivam a internacionalização dos negócios regionais.
“O CIN cumpre um calendário de eventos e participações em feiras no exterior, visando sensibilizar empresários para ampliar a participação do Amazonas na exportação”, disse Lima, ressaltando que vai organizar a missão à Tailândia e contribuir com a percepção de mercado no continente asiático dos empreendedores amazonenses.
Em 2014, o Amazonas exportou cerca de US$ 900 mil em peixes ornamentais, produtos e insumos de aço, ferro e alumínio, eletroeletrônico, energia, naval, entre outros. Com relação à importação, o consumo amazonense no mercado tailandês envolve peças de automóveis e maquinários, tecnologia da informação, energia, entre outros, no valor de US$ 470,6 milhões.
O embaixador tailandês reuniu-se na segunda-feira com o governador do Amazonas, José Melo, e no encontro apresentou os interesses de mercados da Tailândia no Estado, reafirmando no seminário o objetivo da vinda da comitiva. “Queremos aumentar nosso fluxo de negócios, fazendo da Tailândia o porto do Brasil na região central do continente asiático”, ressaltou.
Para a diretora de comunicação e marketing da empresa Marajó Injeção Diesel, Romyne Novoa, expandir o mercado é a opção mais viável para a sustentabilidade dos negócios e por conta desse objetivo, participou do Seminário de Oportunidades Tailândia Amazonas.
“A Marajó tem a visão de ampliar horizontes com negócios voltados à geração de energia, construção naval e mineração. Nossa empresa tem matriz no Polo Industrial de Manaus, mas já rompeu barreiras e conta com filiais em Natal e Miami”, diz Romyne.
No ranking mundial, o Brasil e Tailândia estão lado a lado na oferta de produtos alimentícios. O Brasil é o 1º na exportação de açúcar e arroz, enquanto a Tailândia vem em 2º lugar com o açúcar e o 3º em arroz, e com o frango, a exportação brasileira atinge o 2º lugar e a Tailândia ocupa o 4º lugar no fornecimento mundial.
De acordo com o embaixador tailandês, a Tailândia é o segundo país asiático em crescimento econômico, com Produto Interno Bruto (PIB) de US$ 2 bilhões e o segundo em arrecadação de Imposto de Renda.
No Amazonas, a fábrica tailandesa de componentes eletrônicos Cal-Comp emprega cerca de 2.500. Segundo Charnbhumidol, a proposta é ampliar as atividades industriais de capital tailandês no Polo Industrial de Manaus (PIM) e lançar uma nova fábrica nos próximos anos com a geração de emprego de mais mil trabalhadores.
Na mesa redonda, após a apresentação da Tailândia e Amazonas, empresários do segmento de pesca, construção civil e têxtil trocaram contatos para futuras negociações.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email