Empresário espera crédito menos acessível

Os empresários brasileiros sentem que terão menos acesso a financiamento em 2012, mas ainda assim estão entre os mais otimistas, de acordo com o IBR (International Business Report) 2012 da Grant Thornton International.

Os empresários brasileiros sentem que terão menos acesso a financiamento em 2012, mas ainda assim estão entre os mais otimistas, de acordo com o IBR (International Business Report) 2012 da Grant Thornton International. Os dados do 4º trimestre de 2011 mostram que 56% dos executivos disseram acreditar que o financiamento será mais acessível, resultado bem acima da média global de 30%, porém 12 pontos percentuais a menos que o registrado no 4º trimestre de 2010. O percentual dos empresários brasileiros que acreditam que o acesso a financiamento será menos acessível aumentou 10 pontos percentuais para 17%.
“Os resultados não surpreendem já que estão alinhados com a realidade econômica mundial. A surpresa ficará a cargo da economia brasileira neste ano, observando o desenvolvimento da inflação e se os juros altos para as empresas persistem, o que que pode restringir seu crescimento e expansão”, diz Javier Martinez, responsável pelo IBR na América Latina.
Das 40 economias participantes, as que mais empresários acreditam que terão melhor acesso a financiamento são, Índia (69%), Peru (67%), Geórgia (64%), Filipinas (61%) e México (58%). Por outro lado, os executivos gregos (68%), Franceses (47%) e Irlandeses (46%), são os que acreditam que o acesso a financiamento será menor.
Na América Latina a quantidade de empresários que diz crer que o acesso a financiamento será maior aumentou apenas 3p.p na comparação com o mesmo período do ano passado para 11%. Nos países do BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China), houve uma queda de 10% no número de empresários que dizem acreditar que o crédito será mais acessível.
O IBR 2012 também pesquisou o sentimento do empresariado com relação ao suporte de credores neste ano. No Brasil, o cenário é bem otimista, com 74% dos executivos dizendo crer em um apoio de credores, 28 pontos percentuais a mais que o registrado no ano anterior. Apenas 8% falaram que os credores não darão apoio aos negócios. Entre os mais otimistas com relação ao apoio dos credores estão Filipinas e Geórgia (ambos com 91%), Índia (86%), Estados Unidos (84%) e Emirados Árabes (83%).

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email