2 de março de 2021

Empresário brasileiro está otimista com perspectivas de faturamento

Para ilustrar, as datas mais otimistas de faturamento em 2007 foram: Dia das Crianças (49%), Páscoa e Dia dos Pais (ambos com 48%).

A Pesquisa Serasa de Perspectiva Empresarial para o Natal 2007 apurou que 61% dos empresários entrevistados esperam aumento do faturamento na data em relação ao Natal de 2006. O patamar é recorde desde o início da pesquisa, em 2005, e não só para o Natal, mas também considerando-se todas as datas festivas do varejo desde então e a primeira vez que a barreira de 50% é rompida. O grande comércio é o que aposta mais no maior faturamento neste Natal.

Para ilustrar, as datas mais otimistas de faturamento em 2007 foram: Dia das Crianças (49%), Páscoa e Dia dos Pais (ambos com 48%). Os empresários do comércio brasileiro esperam um crescimento médio do faturamento de 15,5% no Natal deste ano em relação ao do ano passado. Os empresários do comércio mais otimistas sobre o faturamento do Natal 2007 são os do Norte (70%), Sul (66%), Sudeste e Centro-Oeste empatados (59%) e, por último, os do Nordeste (56%).

A pesquisa da Serasa considerou uma amostra de 1.008 empresas do varejo, segmentadas por porte e por localidade.

Em relação ao volume de vendas físicas (quantidade vendida), a perspectiva também é recorde, com 59% dos entrevistados apostando em crescimento em relação ao Natal 2006. Este patamar foi conseguido pela reversão de expectativa dos empresários que acreditavam em estabilidade das vendas físicas no Dia das Crianças e agora se mostram otimistas para este Natal.

Desde o Dia das Crianças de 2006, é a primeira vez que a perspectiva de faturamento é maior que a de vendas físicas, em datas especiais do varejo, indicando que os presentes serão de maior valor.

Na análise por porte e por região sobre as razões que promovem essas perspectivas positivas, os empresários apontaram a conjuntura econômica como muito favorável, principalmente nos aspectos de renda, maior emprego e maior oferta de crédito. Na opinião dos empresários do comércio brasileiro, os celulares (apontados por 30% dos entrevistados) continuarão capitaneando as vendas para este Natal, seguidos pelas confecções e acessórios (20%), eletrônicos (17%), eletrodomésticos (11%), brinquedos (7%), perfumaria e cosméticos (3%), DVD, CDs , livros e agendas (2%), entre outros. Na análise regional, os celulares sempre aparecem no topo da procura por presentes.

Os empresários do varejo di­zem que 47% de suas vendas para este Natal será à vista e 53% a prazo. Esta proporção praticamente não mudou em relação ao Natal 2006.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email