Embrapa quer incentivar milho e mandioca no AM

Novas variedades de milho recomendadas pela Embrapa Amazônia Ocidental (Manaus-AM) e orientações sobre Sistema de Produção de Mandioca em terra firme serão apresentadas aos produtores rurais para cultivo em terra firme e várzea no Amazonas

Novas variedades de milho recomendadas pela Embrapa Amazônia Ocidental (Manaus-AM) e orientações sobre Sistema de Produção de Mandioca em terra firme serão apresentadas aos produtores rurais para cultivo em terra firme e várzea no Amazonas, no “Dia de Campo” que será realizado nesta terça-feira (18)em Manacapuru.
Essas tecnologias (novas cultivares e sistemas de produção) a serem apresentadas respondem a diversos problemas relacionados à baixa produtividade de milho e mandioca no Amazonas, proporcionando aumento de produtividade nas condições de clima e solo do Estado, e também maior segurança alimentar, pois se trata de alimentos importantes na dieta alimentar da região e que vêm sendo importados para completar o abastecimento do Amazonas. Além disso, são alternativas tecnológicas que contribuem para a conservação ambiental pelo seu potencial de produzirem mais ocupando proporcionalmente as mesmas áreas de plantio.
As novas variedades de milho recomendadas para o Estado são a BRS Caimbé e BRS 4103, e foram avaliadas em quatro ambientes do Amazonas, nas safras de 2011/2012 e 2012/2013, tanto em várzea quanto em terra firme, pela Embrapa Amazônia Ocidental.
O pesquisador da Embrapa Amazônia Ocidental, Inocêncio Júnior de Oliveira, informa que os resultados mostraram que as novas variedades têm produtividade 20% a 25% maior que as variedades atualmente cultivadas no Estado. Com as novas variedades de milho estima-se uma produtividade de 4,5 a 5 toneladas por hectare, em grãos de milho seco. Para o milho verde, pode-se colher 40.000 espigas comerciais por hectare.
O Amazonas produz apenas 36 mil toneladas de milho em 14,4 mil hectares, obtendo uma produtividade de 2,5 toneladas por hectare, valor abaixo da média da região Norte (2,9 toneladas por hectare) e do Brasil (cinco toneladas por hectare).
Em relação à mandioca, o pesquisador Miguel Dias vai apresentar informações sobre preparo do solo, calagem, cultivares, adubação de plantio, controle de plantas daninhas, adubação de cobertura, épocas de colheita, qualidade da raiz e armazenamento de maniva semente.
O pesquisador destaca que a mandioca é uma cultura muito importante no Amazonas. Embora a mandioca se adapte bem às condições de clima e solo da região, ainda assim são necessários conhecimentos técnicos e orientações tecnológicas para melhorar a produção em bases mais sustentáveis. Atualmente a produção de mandioca é insuficiente para atender a demanda de farinha no Estado, que é o principal produto da mandioca no Amazonas. A média do consumo de farinha de mandioca por pessoa no Estado é de cerca de 58/kg/habitante/ano. Por não produzir o suficiente para atender sua demanda, o Amazonas importa cerca de 24 mil toneladas de farinha para seu abastecimento.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email