Em ritmo de campanha, Braga fala de realizações

Oficialmente o ano político iniciou, esta semana, no Brasil, com a volta aos trabalhos das principais casas legislativas do país. No Amazonas, um clima de balanço político, campanha e despedida temporária tomou conta da primeira sessão do ano na ALE (Assembléia Legislativa do Amazonas), que foi aberta pelo governador do Estado, Eduardo Braga, quando enumerou os avanços conquistados pelo Amazonas e afirmou que o Estado precisa da continuidade do progresso e das políticas públicas voltadas ao desenvolvimento sustentável. O mesmo clima de despedida se repetiu no Congresso Nacional durante a abertura dos trabalhos do Senado e Câmara Federal, quando a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, apresentou a mensagem do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em que ele se ‘despede’ do poder e faz um balanço de seus dois mandatos.

No plano estadual, o primeiro dia de trabalho da ALE foi iniciado pela palavra do governador Eduardo Braga que contabilizou o que considera como conquistas do Amazonas nos últimos 7 anos em que esteve à frente do Executivo estadual. As realizações nas áreas de educação, com a Seduc (Secretaria de Estado da Educação), UEA (Universidade do Estado do Amazonas), Cetam e Fapeam (Fundação de Amparo à Pesquisa no Amazonas) e ainda saúde, cultura, meio ambiente e segurança pública foram destacadas pelo governador. “Vamos inaugurar a primeira escola padrão em tempo integral na cidade de Manaus. Um marco na história da educação. O Amazonas, que antes discutia o por quê de estar no penúltimo lugar no ranking da educação pública do país, hoje discute como beneficiar cada vez mais jovens nos programas educacionais”, afirmou, lembrando também que os investimentos na área da saúde aumentaram em 2009, mesmo com a crise econômica mundial, a qual definiu como uma ‘marola’ que apenas arranhou a situação financeira do Amazonas. “Com relação a Manaus, é só lembrarmos da grande reforma que está sendo feita no Hospital 28 de Agosto que será um marco na história de nossa evolução juntamente com a inauguração do Instituto da Mulher e uma unidade para atendimento aos queimados”.

Para o governador, o sistema de segurança pública do Estado melhorou com o aumento do contingente de trabalhadores, na melhoria de qualidade dos treinamentos, com a compra de novos equipamentos e no aumento salarial dos profissionais. “O Estado do Amazonas não tinha uma câmara de monitoramento quando chegamos ao governo e hoje temos mais de 400. Temos ainda um serviço eficiente de inteligência que nos permite fazer uma articulação com a força nacional em busca do combate ao tráfico e aos crimes organizados”, destacou Braga.

O governador disse que hoje o Amazonas é ousado, por ter construído um modelo de recuperação das orlas de igarapés com o Prosamim e por ter pleiteado e conquistado o direito de sediar jogos da Copa do mundo de 2014, o que vai gerar grandes investimentos estruturais para a cidade de Manaus. “Vamos trazer o monotrilho para acabar com uma das grandes dívidas desta cidade para com o seu povo. E graças a esta possibilidade da Copa do Mundo, estamos conseguindo, com a parceria do presidente Lula, implantar um novo nível de sistema de trânsito na cidade”, comentou o governador.

Interior ainda preocupa, mesmo com ampliação de crédito para R$ 300 mi

Para o governador Eduardo Braga, o programa Zona Franca Verde é um dos responsáveis para que o interior do Amazonas pudesse passar pela ‘revolução de desenvolvimento’ que tem acontecido nos últimos sete anos. “O governo buscou alargar o desenvolvimento para os municípios do interior. Para comprovar isto é só pesquisar na Secretaria Nacional do Tesouro o volume de créditos para o interior ou no IBGE o crescimento da renda per capita no interior do Estado”, afirmou Braga, lembrando que o volume de crédito para o interior saltou de pouco mais de R$ 50 milhões para R$ 300 milhões.

A questão da energia elétrica é um dos problemas destacados pelo governador no interior e que ele afirma que está perto de ter uma resolução definitiva. “Ainda existe problema de abastecimento de energia no Estado sim, mas, nos últimos sete anos mais de 60 mil famílias apagaram a lamparina e acenderam a luz elétrica por 24 horas”, revelou.

Na primeira sessão do ano, Braga lembrou ainda que este ano pelo menos 400 obras estão sendo realizadas no Estado, com destaque para as obras do Prosamim, a ponte sobre o rio Negro e a Avenida das Torres. “São obras importantes para o desenvolvimento, tanto para Manaus como para diversos municípios do interior”, conclui o governador.

Braga é o mestre das realizações, diz Belão

A atuação do Executivo estadual nos últimos 7 anos também foi exaltada pelo presidente da ALE, deputado Belarmino Lins (PMDB), que destacou o comprometimento do governo do Amazonas para com a sociedade e elogiou a atuação dos parlamentares. “Avançamos e continuaremos avançando, pois esta Assembléia merece este compromisso. Este diapasão é o mesmo que encontramos firmado no atual governo do Amazonas”, disse Belarmino, referindo-se ao governador Eduardo Braga como ‘mestre das realizações que transformam a sociedade estadual’. “O grande estadista da história do nosso Estado, o governador Eduardo Braga é o grande responsável por este salto de qualidade”, avaliou o deputado.

Presidente Lula mantém otimismo em seu último ano à frente do governo

No plano nacional também foi dada a largada ao ano político, considerado o mais importante nos últimos anos, pois vai colocar na balança as gestões dos dois principais partidos políticos que governaram o Brasil nos últimos 15 anos: PT e PSDB. Esta semana, o presidente Lula, no alto de seus 75% de popularidade, despediu-se do Congresso, já que 2010 será seu último ano de mandato. Ele lembrou os sete anos de relacionamento entre Executivo e Legislativo. “Nosso principal desafio para 2010 é seguir trabalhando em conjunto para manter e fortalecer as condições econômicas e sociais que nos permitiram enfrentar as turbulências recentes no âmbito internacional”.

Na mensagem, levada ao Congresso pela ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, e lida pelo 1º secretário da Mesa do Congresso, deputado Rafael Guerra (PSDB-MG), o presidente Lula ressaltou a rapidez com que o governo e o Legislativo responderam à crise internacional que marcou o último ano. “Empresários voltaram rapidamente a investir, passado o susto inicial dos mercados, e o governo agiu rápida e firmemente para remover os entraves à liquidez, à expansão do crédito, ao consumo e ao investimento”, disse.

O presidente Lula destacou a conquista do Brasil em sediar os dois maiores eventos esportivos do mundo, a Copa do Mundo de Futebol (2014) e os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro (2016) e afirmou que estes serão duas válvulas de impulso ao desenvolvimento do país que vai se firmar de uma vez por todas como uma das maiores potências do mundo.

Segurança institucional

Segundo Lula, a resposta rápida e a segurança das ins­tituições brasileiras foram fundamentais para que o Brasil se tornasse um dos países menos afetados pela crise mundial. O presidente ressaltou que o país continuou gerando empregos e fortalecendo a infraestrutura, mas principalmente reduziu o abismo que separa os brasileiros mais ricos dos mais pobres. Ele des­tacou o papel do Legislativo, que apontou novas iniciativas e fez sugestões e me­lhorias nas propostas enviadas pelo governo para o combate à crise.

Lula ressaltou que as contas públicas estão equilibradas, as reservas internacionais se mantiveram em alta e a inflação está controlada. Ele destacou que o PAC e o programa “Minha Casa Minha Vida” se somarão aos recursos da exploração do petróleo no pré-sal para garantir a continuidade do crescimento sustentável no país.

Ensino superior

Como exemplo, Lula citou o acesso ao ensino superior e destacou as mais de 596 mil bolsas do Pro-Uni, que permitem o acesso de alunos de baixa renda à universidades privadas. As vagas nas universidades públicas também passaram de 113 mil em 2003 e chegaram 192 mil em 2009.

O presidente ainda ressaltou o papel internacional do Brasil, que defendeu a abertura dos mercados como solução para a crise internacional, conquistou a realização dos primeiros jogos olímpicos na América do Sul e vem prestando auxílio para a reconstrução do Haiti. Além de ter tido papel de destaque em Copenhagen.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email