Após questionamentos no Ministério Público Federal, a oposição ingressou ontem com uma representação contra a presidente Dilma Rousseff na Comissão de Ética Pública da Presidência para analisar se ela infringiu o Código de Conduta da Alta Administração Federal em sua escala em Portugal, no último sábado.
Na ação, o PSDB alega que a presidente feriu a determinação de condutas éticas para as altas autoridades ao realizar a parada em Lisboa se hospedando em hotel de luxo sem compromissos oficiais e sem divulgar a agenda.
Dilma fez uma escala em Portugal quando voltava da viagem à Suíça, onde participou do Fórum Econômico Mundial, em Davos, antes de chegar a Cuba no domingo. Dilma jantou no Eleven, um dos três únicos restaurantes da cidade a ter uma estrela no guia “Michelin”, e ficou hospedada no Ritz Four Seasons, um dos mais luxuosos da capital.
Segundo o líder do PSDB na Câmara, Carlos Sampaio (SP), há ainda indicações de que a parada estava programada desde quinta-feira passada e o argumento de parada técnica não se justifica pela autonomia do avião presidencial. O tucano argumentou que a FAB (Força Aérea Brasileira) indicou que o avião presidencial, o Airbus A319, tem autonomia de voo de aproximadamente 11 mil quilômetros e a distância entre Zurique e Havana é de 8.199 quilômetros.
Sampaio disse ainda que o governo tentou esconder os reais motivos da parada e levou inclusive ministros de Estado a mentirem. “A presidente não apenas fez, efetivamente, uma escala injustificada em Lisboa, o que, por si só, já contraria o interesse público, mas deliberou por transformar essa escala ociosa em uma alucinante cena de ostentação supérflua, custeada pelo patrimônio público brasileiro”, disse o líder, lembrando que o avião presidencial conta com cama e poderia seguir viagem após o abastecimento.
O deputado tucano disse que a parada técnica da presidente teve um custo de R$ 98 mil e que espera o ressarcimento do valor aos cofres públicos. “Vamos tentar reaver esse dinheiro”, disse.
Falsidade
O PSDB entrou ainda com uma representação na Procuradoria-Geral da República pedindo a abertura de inquérito contra a presidente, quatro ministros e Juniti Saito (Comandante da Aeronáutica) para apurar a prática de improbidade administrativa, bem como eventual prática de crime contra administração pública e falsidade ideológica.
Em nota divulgada no domingo, a Presidência da República afirmou que a parada técnica em Lisboa foi “adequada” porque o Airbus presidencial não tem autonomia para voar da Suíça a Cuba, onde cumpre agenda a partir de hoje.
A oposição pede que o Ministério Público avalie se a ministra Helena Chagas (Secretaria de Comunicação da Presidência) cometeu falsidade ideológica por ter assinado uma nota afirmando que a decisão de fazer um voo diurno foi tomada pela Aeronáutica a partir de avaliações das condições meteorológicas.
Além de Helena Chagas, são alvo da representação os ministros : Fernando Pimentel (Desenvolvimento e Indústria), Luiz Alberto Figueiredo (Relações Exteriores), José Elito (Gabinete de Segurança Institucional), além de Juniti Saito (Comandante da Aeronáutica) e Marco Aurélio Garcia (assessor especial da Presidência).

Restaurante foi avisado com antecedência sobre jantar
O chef Joachim Koerper, do restaurante Eleven, disse que recebeu funcionários da Embaixada do Brasil em Lisboa para uma “vistoria” na véspera da visita da presidente Dilma Rousseff e de membros da sua comitiva ao local.
Isso contraria a versão apresentada pelo ministro Luiz Alberto Figueiredo (Relações Exteriores) para a passagem da delegação brasileira pela capital portuguesa, fato que havia sido omitido da agenda presidencial.
Dilma fez uma escala em Portugal quando voltava da viagem à Suíça, onde participou do Fórum Econômico Mundial, em Davos, antes de chegar a Cuba no domingo. Sem compromissos oficiais em Lisboa, Dilma jantou no Eleven, um dos três únicos restaurantes da cidade a ter uma estrela no guia “Michelin”, e ficou hospedada no Ritz Four Seasons, um dos mais luxuosos da capital.
“Havia duas possibilidades. Viu-se que havia previsão de mau tempo no nordeste dos Estados Unidos. Então houve uma decisão de que o voo mais seguro seria com escala em Lisboa”, declarou o ministro, em Cuba.
O embaixador Almeida Lima, diretor do cerimonial do governo português, estava incumbido desde quinta-feira de preparar a recepção da presidente.
Ela ficou cerca de 15 horas em Portugal. Uma parte da equipe ficou no mesmo hotel que a presidente. Outra, no Tívoli. No Ritz, o valor das diárias vai de 360 euros (R$ 1.188) para o quarto comum a 8.265 euros (cerca de R$ 27 mil) para a suíte presidencial.
Segundo o chef, jantaram com Dilma mais sete pessoas, por um preço “muito mais baixo que 89 euros”. Esse é o preço do melhor menu da carta do Eleven, o “Menu Estrela Michelin.” “Foi muito mais barato que um bom restaurante em São Paulo ou no Rio de Janeiro. Mais barato, certamente que no Figueira Rubaya ou no Fasano”, disse.
Questionado sobre se o “Menu Estrela Michelin” não tinha sido servido a presidente Dilma Rousseff, Koerper explicou: “Só servi meia dose de robalo, não havia sequer atum [um prato que consta desse menu], e não comeram sobremesa. Só queijo. Portanto, foi muito mais barato que esse menu”. Além disso, esclareceu o chef, “o vinho [da refeição] foi oferecido porque se vem cá um chefe de Estado temos que oferecer algo, não? Vinho e um vinho do Porto é o mínimo”. Joachim Koerper contou também que, na mesa de Dilma Rousseff, a conta foi dividida por oito e que “cada um pagou individualmente. Alguns em dinheiro e outros em cartão de crédito”.
O restaurante Eleven, situado numa área privilegiada da capital portuguesa tem uma vista para o rio Tejo e é considerado um dos melhores de Lisboa. Apesar de Dilma Rousseff estar no local, o restaurante não foi fechado. “Dilma jantou na sala de cima num ambiente muito descontraído. Alguns clientes se aperceberam de que ela estava cá, mas não aconteceu nada de especial.”

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email