8 de maio de 2021

Em mensagem à Aleam, Wilson Lima diz que Arthur Neto virou de costas para a pandemia

Em leitura da mensagem à Aleam, na abertura do ano Legislativo estadual, o governador Wilson Lima destacou avanços do Governo no enfrentamento da Covid-19, mas também lançou duras críticas à gestão municipal de Arthur Virgílio Neto no ano passado.

O governador disse que, no ano passado, a Prefeitura de Manaus “simplesmente virou as costas para a pandemia” e “fez de conta que não tinha nenhuma responsabilidade com a saúde dos manauaras”. Wilson Lima enumerou que, de 200 unidades básicas de saúde, a Prefeitura havia disponibilizado apenas 18 para atendimento de Covid-19.

“Quantas vidas teriam sido salvas se o Executivo municipal tivesse feito sua parte? Enquanto famílias estavam enlutadas e os profissionais da saúde continuavam lutando, exaustos, o então prefeito seguia em seu mundo, onírico, vendo a crise na saúde como oportunidade de autopromoção, em brigas políticas e ataques, como continua até hoje”, afirmou o governador.

Wilson Lima disse ainda que a capital amazonense tem o menor percentual de cobertura de atenção básica em todo o Amazonas.

Ampliação atendimento

O governador destacou também avanços do Governo do Estado nas áreas da saúde, educação, segurança, economia e infraestrutura no ano de 2020. Entre as principais ações, ele ressaltou aquelas realizadas no Plano de Contingência para o Recrudescimento da Covid-19, com a ampliação da capacidade de assistência da rede pública de saúde.

“O que estamos fazendo é a maior ampliação da capacidade da saúde pública da história do Amazonas, em um período tão curto de tempo. Com o Plano de Contingência para o Recrudescimento da Covid-19, aumentamos a capacidade da nossa rede de assistência e, a partir de outubro, saltamos de 457 leitos exclusivos para Covid-19 para 1.348”, afirmou Wilson Lima.

O governador ressaltou o trabalho feito no principal hospital de referência no tratamento da Covid-19. “O Hospital Delphina Aziz passou de apenas 10 leitos de UTI, no início de nossa gestão, quando o hospital estava inclusive com o contrato encerrado, para 140, no final de 2020. Hoje já são 150, e todos os andares estão sendo utilizados para atendimento”.

Para os 61 municípios foram destinados 875 leitos clínicos para atendimento de Covid-19. E o Amazonas elevou em 576% a quantidade de Unidades de Cuidados Intermediários, as UCIs, que o interior nunca teve e que hoje existem em todos os municípios do estado.

Abastecimento de oxigênio e miniusinas – Wilson Lima enfatizou os investimentos que o Governo do Estado vem fazendo, com o apoio do Governo Federal, no abastecimento de oxigênio e na instalação de miniusinas na rede estadual de saúde.

“Com a ampliação da rede de assistência, previmos que haveria aumento de demanda por oxigênio, e nossa principal fornecedora estava se preparando para nos fornecer 52 mil m³ ao dia em janeiro. Essa quantidade representa quase o dobro do que foi consumido no período mais crítico que tivemos. As reservas existentes acabaram e demos início à logística de trazer oxigênio para o Amazonas. Assim que detectamos os problemas, pedimos ajuda ao Governo Federal. Hoje, temos uma situação mais estabilizada, mas ainda não resolvida e que nos dê tranquilidade”, frisou.

Do total de 62 miniusinas previstas, 14 já estão em operação, produzindo, em média, 5.760 metros cúbicos/dia de forma independente. Outras quatro estão em processo de instalação, 14 estão a caminho do Amazonas e 30 serão adquiridas pelo Governo do Estado.

“As usinas estão sendo montadas em tempo recorde de até cinco dias após a entrega, o que permitirá, por exemplo, a abertura de novos leitos pela SES, ampliando a oferta de tratamento especializado contra a Covid-19 na rede”, disse o governador.

Economia aquecida

Para assegurar renda à população e manutenção da economia aquecida em 2020 e nos próximos anos, o governador Wilson Lima disse que manteve as obras em andamento e buscou fomentar o setor produtivo, principalmente o pequeno empreendedor e produtores rurais. O pagamento do auxílio emergencial, no valor de R$ 200,00, a 50 mil famílias da capital e do interior, por três meses, no primeiro pico da pandemia, em abril e maio do ano passado, e a destinação de R$ 5,7 milhões, por meio do Fundo de Promoção Social e Erradicação da Pobreza (FPS), para organizações da sociedade civil que trabalham com inclusão social, foram fundamentais nesse processo.

Por meio da Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam), o Governo do Estado realizou mais de 9 mil operações de crédito, chegando a um total de R$ 115 milhões. O incremento na aplicação dessa linha de crédito pelo Governo do Estado na economia foi de 48% a mais, em relação aos últimos quatro anos.

A seguir veja um resumo da mensagem do governador:

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email