Em Margarita Chavez era vilão

A ilha de Margarita, no caribe venezuelano, é há mais de duas décadas o destino preferido da maioria da classe média manauara para dias de lazer e descanso. E é também um dos redutos do país vizinho onde a idolatria pelo presidente Hugo Chavez, morto na última terça-feira (5) era abafada por um sentimento de rejeição vindo principalmente dos comerciantes, a classe que movimenta a economia local. Para eles, o líder bolivariano inibia o turismo com suas bravatas e prejudicava os negócios. A desapropriação do hotel Hilton, um dos principais do local, foi a gota d´água. A partir dali, era comum que os empresários abordassem brasileiros para reclamar do apoio que o governo brasileiro dava ao “comandante”.

O ídolo

Já em Santa Helena, cidade que faz fronteira com Pacaraima, em Roraima, e é rota obrigatória para quem se dirige a Margarita, a realidade é bem diferente. Ali Chavez é praticamente uma unanimidade. Para entender a idolatria, basta sair nas ruas principais e visitar os bairros periféricos. Em comunidades com ruas ainda não asfaltadas é possível notar a presença de casas novinhas, muito simpáticas, construídas pelo presidente em terrenos onde antes existiam barracos quase inabitáveis.

Cuidado

Viajar a Margarita neste momento, atravessando todo o território venezuelano, pode não ser um bom negócio. Se havia reclamações sobre a abordagem dos militares da Guarda Nacional nas Alcabalas –postos de fiscalização policial ao longo da estrada –, com a morte de Chavez a tendência é que os policiais se sintam ainda mais a vontade para extorquir os turistas brasileiros. Melhor esperar para ver como vai ficar o país depois do enterro do líder.

Potássio

Os prefeitos de Nova Olinda, Joseias Lopes; de Autazes, Wandelan Sampaio; de Borba, José Maria Bahia; de Itacoatiara, Mamoud Amed Filho, e o vice-prefeito de Urucurituba, Reinaldo Serrão, elaboraram uma agenda positiva, que será apresentada ao governador Omar Aziz, em defesa da exploração da silvinita. O minério torna o Amazonas autossuficiente na produção do NPK, fertilizante composto por nitrogênio, potássio e fósforo.

Dureza

A empresa Potássio Brasil já realiza estudos em vários pontos, nestes municípios. Na estrada do Rosarinho, em Autazes um pedaço do minério é retirado a mais de 650 metros abaixo do solo por uma perfuradora, num processo que chega a durar mais de 32 dias, com jornada de trabalho de 24 horas.
Finalmente

Plínio Valério (PSDB) tomou posse, ontem, como deputado federal em Brasília, depois de longo processo de negociação para conseguir garantias de que não perderia o mandato de vereador, conquistado no ano passado. Ele aproveitou a presença do prefeito Arthur Neto na capital federal para contar com a presença deste na solenidade, realizada no gabinete da Presidência da Câmara dos Deputados. Resta saber se o Ministério Público vai manter a intenção de entrar com processo de cassação contra o neodeputado.

Disputa

O jurista Félix Valois assumiu a defesa do ex-prefeito de Rio Preto da Eva, Anderson Souza. E começou atirando. Chamou o juiz Cássio Borges, que decretou a prisão do cliente, de “parcial”. Segundo o veterano advogado, o magistrado mostrou várias vezes, desde o processo eleitoral do ano passado, que era simpático aos opositores de Souza. Por isso, vai tentar fazer com que algum desembargador casse a decretação da detenção. Por enquanto, o político amarga o isolamento em cela separada em presídio local.

Alagado

O asfalto colocado pela Secretaria de Infraestrutura anteontem no polêmico retorno construído pela administração passada em frente ao Comando Militar da Amazônia está praticamente perdido. Depois da tempestade da manhã de ontem, a pista ficou totalmente alagada. Ainda assim, o tráfego pelo local foi liberado, depois dos enormes congestionamentos ocorridos na véspera, devido ao fechamento.

Alternativa

O jornal “O Globo” da última terça-feira (5), publicou matéria mostrando como a arena do clube Paris Saint Germain sobrevive sem precisar necessariamente abrigar jogos de futebol. Todo tipo de avento tem seu lugar nela. Segundo o veículo, pode ser uma alternativa para estádios semelhantes que estão sendo construídos em Manaus, Cuiabá, Brasília e Natal, cidades onde o futebol profissional não tem atraído grande público.

Que ano!

E 2013 vai se revelando um ano surpreendente. Depois da inusitada renúncia do Papa Bento 16, fato que não se presenciava há séculos, a morte de Hugo Chavez, até um ano atrás impensável, e a partida, ontem, do cantor Chorão, vocalista da banda Charlie Brown Junior, dominaram as manchetes e mobilizaram as atenções. Até o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, surpreendeu ao perder a compostura com um jornalista, depois de tornar-se o “queridinho” da mídia durante o julgamento do Mensalão. O que mais vem por aí…

Detran no interior

Nem mesmo sentou direito na cadeira de diretor, o ex-vereador Leonel Feitoza foi cobrado veementemente, ontem, da tribuna da Assembléia Legislativa pelo deputado Tony Medeiros (PSL). O parlamentar exigiu maior presença do Detran nos municípios e mais especificamente em Parintins. Tony disse que o órgão só aparece na ilha, durante o Festival Folclórico. Motoqueiros sem habilitação, motoristas sem poder renovar a CNH, e a falta de sinalização são alguns dos problemas apontados que são comuns no interior.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email