Em Dia Livre de Impostos, gasolina fica 50% mais barata

Para entender o quantitativo pago em impostos pelos contribuintes ao ano basta analisar os seus gastos. Esse tributo está embutido em tudo que consumimos e passa muitas vezes despercebido,  a começar pelo despretensioso cafezinho. Um levantamento realizado pelo IBPT ( Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação) aponta que o cidadão brasileiro precisa trabalhar 150 dias por ano para pagar impostos.  Em 2021, o manauara deve ultrapassar 153 dias somente para pagar impostos.

Nessa perspectiva, vários estabelecimentos vão aderir a  tradicional data em alusão ao movimento DLI (Dia Livre de Impostos), promovido pela CDL Manaus (Câmara de Dirigentes Lojistas de Manaus), por meio da CDL Jovem. A campanha ocorrerá na próxima quinta-feira (27).

Além de postos, outros estabelecimentos também adotam a campanha Foto: Divulgação

Diferente do ano passado, o evento em 2021 vai ter presença física em alguns locais como no posto RZD, no Parque 10. Segundo o diretor da CDL-Jovem Matheus Demasi, serão oferecidos 2 mil litros de gasolina com desconto de 50% no valor do litro. Ao todo, 200 carros poderão ser abastecidos com até 10 litros de combustível cada, a partir das 7h. “Mas sem gerar aglomeração. Ano passado a gente não realizou a ação em nenhum posto até por conta da situação da pandemia, mas este ano resolvemos fazer para que gere um pouco mais de repercussão e movimentação”, explica.

O município de Itacoatiara também recebe a campanha num posto de combustível, além da ação no posto fluvial Pontão, às 15h. O posto Atem, situado na avenida Parque, no Centro do Município, irá vender 165 litros de gasolina sem o valor do imposto. “Cerca de 100 carros e/ou motos poderão abastecer até 5 litros de gasolina cada”, destacou o coordenador da CDL Jovem Amazonas, Luiz Eduardo Leal.

Para o presidente da Federação da Câmara dos Lojistas (FCDL-AM), Ezra Benzion, o DLI é uma oportunidade para conscientizar a população sobre as altas taxas tributárias pagas e dialogar sobre como elas são governadas. “É muito difícil fazer um evento para conscientizar as pessoas onde a facilidade de aglomerar é grande, para isso criamos mecanismos que não desobedeçam a nenhuma medida sanitária e com isso tentamos mostrar, na quinta-feira dia 27 o quanto de imposto é pago, mas principalmente pra onde vai e como é que esse imposto é administrado”

A campanha de iniciativa da CDL Jovem, tem o objetivo de conscientizar a população sobre a alta carga tributária paga pelos contribuintes e não revertido para a sociedade, o que acaba de certa forma maquiando o peso dessa carga tributária que carregamos. “A gente paga, por exemplo, na gasolina mais de 50% de imposto e a gente não observa nenhum benefício de retorno nem para educação, saúde ou segurança pública que é o que a gente deseja”. 

Segundo a CDL-Jovem, a 10ª edição da campanha  este ano conta com a participação de 10 estabelecimentos de Manaus, além de Itacoatiara que vão comercializar produtos sem a carga tributária. Alguns restaurantes darão abatimento dos tributos em torno de 30% a 33%, mesmo subsídio do segmento de pet shops. Participam do evento os restaurantes Sushi Ponta Negra e Bob’s da Torquato Tapajós e Djalma Batista. A CDL-Jovem  espera movimentar R$ 3 milhões.

Saiba mais

Em Manaus, devido a pandemia de Covid-19, o DLI vai acontecer por meio de drive thru e delivery para evitar aglomerações de pessoas. Umas novidades este ano é a participação da Bob’s da Djalma Batista e Torquato Tapajós, onde serão ofertados os seguintes produtos: Franlitos 6und (R$6,80); milkshake 500ml (R$9,50); Trio Tentados Carne (R$21,80); Frango Tomato Artesanal (R$25,90); Trio Cheddar Pequeno (R$13,00).

Opinião 

Para o governo é vantajoso arrecadar esses tributos, o ideal  é que ela seja um pouco mais elevada porque é a única fonte de renda do poder público  para investimentos em melhorias e formas de fazer a economia funcionar de forma mais adequada, por isso as alíquotas tendem a ser mais elevadas.  para mas para o consumidor, a carga tributária, principalmente num momento de retração na economia pagar altos impostos, nunca é bem-vindo, são as duas formas avaliadas pelo economista Eduardo Souza. 

“É uma questão que deve ser bem equilibrada porque não deve onerar demais o consumidor quanto menos isso acontece mais dar poder de compra a receita de cada uma dessas pessoas. Por meio do consumo também a economia funciona de uma forma positiva em que você consome mais a uma demanda maior pelos produtos consequentemente há uma produção maior “.

Ele diz que o DLI é ideal para os dois lados. O governo zera alíquota de impostos nesse dia específico fazendo com que ele ganhe no funcionamento na circulação da moeda, ou seja, no consumo, na geração de receita, fazendo com que a economia volte a pulsar novamente. Para o consumidor é um atrativo neste momento em que a economia precisa ser aquecida. 

Para o economista, a carga tributária elevada e embutida em serviços e produtos finais,  limita o poder de compra e trava a economia. E a campanha traz esse alerta, “o ato serve para que o consumidor entenda sobre as incidências desses tributos. Lembrando que a campanha é benéfica para todos. Mas é preciso considerar que o momento é de reflexão, principalmente para o consumidor saber o quanto ele paga de impostos e sobre o peso que têm no final ao pagar por um produto”.  

Ele defende também que a reflexão é válida para entender o nível e o volume de impostos que ele paga, e se está realmente está sendo convertido, feito algo em troca por parte do poder público para o consumidor. “ Uma das partes mais importantes para o crescimento de uma economia, é o consumo e a demanda e talvez com um poder de compra mais robusto refletido na diminuição da tributação, a economia poderia se desenvolver muito mais”. 

Por dentro 

O Dia Livre de Impostos foi criado pela Câmara de Dirigentes Lojistas Jovem em 2003 e acontece em todos os estados do país em mais de 1.200 cidades. Em 2020, a data contou com a participação de 26 estados e o Distrito Federal com a colaboração de mais de 9 mil varejistas.

Segundo cálculo do impostômetro, os amazonenses já pagaram mais de R$526 milhões em impostos desde o início do ano.  Em todo país, o número já ultrapassou R$ 1 trilhão.

Foto/Destaque: Divulgação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email