Em crise, EUA e Rússia enviam navios militares

Um navio militar dos Estados Unidos atracou no porto de Batumi, no sul da Geórgia, no mar Negro, ontem, com ajuda humanitária. O porto foi escolhido em alternativa ao de Poti, que fica a 80 km e ainda é controlado por tropas russas. No mesmo dia, a Rússia levou um cruzador e mais dois barcos para o porto de Sukhumi, capital da região separatista georgiana da Abkházia, a 289 km de Batumi, para realizar operações de paz.
Um cruzador militar americano já havia deixado 34 toneladas de ajuda humanitária em Batumi no domingo. Ele recebeu orientação para permanecer no mar Negro por enquanto.
O posicionamento das embarcações acontece em meio a uma crise diplomática entre Estados Unidos e Rússia. Na terça-feira, o presidente russo, Dmitri Medvedev, reconheceu a autonomia de duas regiões separatistas da Geórgia, a Ossétia do Sul e a Abkházia.
O presidente dos EUA, George W. Bush, pediu que o país “reconsiderasse’’ a “irresponsável decisão’’. A Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) também pediu que a Rússia desista do reconhecimento.
O secretário de Relações Exteriores do Reino Unido, David Miliband, disse ontem que o líder russo deve ter a responsabilidade de não começar uma nova Guerra Fria.
Medvedev, porém, já afirmou que “não tem medo de nada’’, “nem sequer da perspectiva de uma Guerra Fria’’, mas reiterou que não a deseja. “Nesta situação, tudo depende da postura de nossos parceiros da comunidade mundial.’’
Na quarta-feira, mais integrantes da União Européia criticaram a declaração em favor dos separatistas.
Sobre o posicionamento do navio militar americano, o vice-chefe do comando militar russo, Anatoly Nogovitsyn, afirmou estar “preocupado’’ com as intenções das tropas americanas e criticou a ajuda humanitária usada como argumento para a movimentação. “Isso é diabólico. Essa ajuda pode ser comprada em qualquer mercadinho’’.
A Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) pediu na quarta-feira à Rússia que reverta a decisão de reconhecer a independência de Ossétia do Sul e Abkházia e respeite a integridade territorial da Geórgia.
“A Otan condena a decisão da Federação Russa de reconhecer as regiões separatistas georgianas da Ossétia do Sul e da Abkházia e pede à Rússia que recue em sua decisão’’, afirma a organização em um comunicado divulgado após a reunião de 26 embaixadores em Bruxelas. Segundo o comunicado, o reconhecimento, anunciado ontem pelo presidente Dmitri Medvedev após dias de conflitos com a Geórgia sobre a Ossétia do Sul, violam as resoluções do Conselho de Segurança da ONU sobre a integridade territorial georgiana.
“A decisão da Rússia viola as numerosas resoluções do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas que os russos aprovaram sobre a integridade territorial da Geórgia’’, acrescenta o texto.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email