Efeitos da cheia em Manaus preocupam Câmara Municipal

Os efeitos negativos da enchente na orla de Manaus foram citados na segunda-feira, pelos vereadores Elias Emanuel (PSB) e Marcelo Ramos (PCdoB) durante o pequeno expediente na Câmara Municipal. O primeiro, cobrou da Prefeitura de Manaus um plano estratégico para enfrentar os efeitos e as conseqüências da subida das águas e o segundo, teceu críticas ao secretário de Mercados e Feiras por conta da situação dos feirantes da Manaus Moderna.
Elias abordou a situação preocupante das comunidades que vivem à margem do rio Negro, diante da perspectiva da maior cheia da história. Lembrou que há semanas apresentou requerimento solicitando informações a respeito do plano estratégico da Prefeitura para enfrentar a situação, “mas até hoje não obtivemos resposta. “E nós sabemos que esse é apenas o primeiro capítulo dessa novela. Quando a água começar a descer aí virão as doenças e outros problemas”, lembrou.
Marcelo Ramos focou seu pronunciamento no problema dos feirantes da feira Manaus Moderna, onde segundo ele as águas já invadiram dois setores importantes, o de carnes e o de peixes. “A situação que já era grave na sexta-feira, hoje está ainda pior. A enchente já tomou conta da parte de alimentos da feira da Manaus Moderna”, disse. Ironizando a “falta de ação da Prefeitura”, principalmente da secretaria de Mercados e Feiras, o vereador disse que “é óbvio que eu não posso culpar o prefeito por um fato natural, mas não posso deixar de culpar nem ele nem o secretário da área pela absoluta omissão diante do fato que acontece hoje na feira Manaus Moderna”.
De acordo com Ramos, os fatos colocados pelos feirantes mostram que o secretário de Mercados e Feiras até hoje não foi lá nem recebeu os feirantes para discutir o problema. “Eles têm uma alternativa e querem discutir com o secretário, mas ele não os recebe”, criticou.
Diante de interferência do líder do prefeito Homero Leão, Marcelo Ramos afirmou: “O vereador Homero está dizendo que ele vai receber os feirantes hoje às 10h, mas por interferência do vereador Homero. Mas antes ele não se dignou a receber os feirantes”.
Elias Emanuel fez referência ainda ao lançamento, no sábado, 20, da sexta edição do Projeto Consciência Limpa, da Rede Amazônica. “O projeto começou com a limpeza de igarapés na cidade e agora faz parte das escolas, onde temos cinco escolas da rede municipal que terão educação ambiental, preparando os alunos para uma mudança de pensamento e de atitude em relação ao meio ambiente”, disse.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email