Editorial: Tensão e medo de conflito

Com um rebanho estimado em 250 mil cabeças de gado, a região da rodovia Transamazônica, interditada há cinco dias por grupos de agricultores e indígenas indignados com a estagnação do programa Luz Para Todos, do governo federal, está completamente isolada, gerando prejuízos incalculáveis à população local.
A situação é grave e atinge, sobretudo, os habitantes de Apuí e Santo Antônio do Matupi, o maior distrito do município de Manicoré, no Vale do Rio Madeira. Somente em Matupi 12 mil pessoas sofrem com o isolamento, que repercute negativamente na economia local, atormentando as atividades diárias de agricultores e pecuaristas.
A falta de diesel já compromete o fornecimento de energia elétrica em Apuí e o racionamento não resolve praticamente nada. O desespero toma conta de todos. Diante desse quadro, urge que o governo federal, responsável direto pela vergonha da indignação contra a paralisia do Luz Para Todos, que era uma das prioridades do governo Lula, providencie logo medidas que aplaquem a interdição e resgate a normalidade na importante rodovia federal.
Ao mesmo tempo, cabe ao governo do Estado os passos urgentes apontando para a resolução do problema. A Assembleia Legislativa designou ontem uma comissão de parlamentares para envidar gestões junto à Eletrobras Amazonas Energia. Mas, urge que o governador Omar Aziz aja com rapidez. Afinal, são preocupantes as informações dando conta de que indígenas e agricultores estão armados na região, demonstrando que a ocorrência de uma tragédia maior não pode ser subestimada.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email