8 de maio de 2021

Editora Et Al busca fomentar a produção científica no Amazonas

Nunca foi tão necessário falar da Amazônia como agora, de sua situação no contexto mundial, da exploração incontrolável de seu meio ambiente, dos interesses internacionais sobre a soberania da região, de seu futuro e de sua importância para o futuro. Foi com esse pensamento que os professores Eduardo Costa, mestre em controladoria e contabilidade; Franklin Carioca, designer; e Mariana Baldoino, doutora em psicologia, lançaram oficialmente no domingo (21), a Editora Et Al (a expressão et al é usada em citações bibliográficas quando a obra possui muitos autores. Cita-se, nominalmente, o primeiro autor, seguido da abreviatura et al). Idealizada em 2020, a Editora agora é uma realidade.  

“Identificamos a falta de uma editora fomentadora da produção científica sobre a Amazônia. Vemos faculdades de peso e outras de médio porte, com professores e pesquisadores produzindo artigos científicos, mas mesmo estando na região, cercados por essas produções, não havia uma editora com pegada científica local para disseminar esse conhecimento, para divulgar a pesquisa cientifica”, explicou Eduardo.

Eduardo Costa é um dos idealizadores da Editora Et Al 
Foto: Divulgação

Apesar de a Et Al nascer focada no segmento da produção científica, ela está aberta à recepção de qualquer outro segmento literário, romances, crônicas, poesias e história.

“Apenas nosso carro chefe serão os livros científicos, mas estamos de portas abertas a escritores das mais diversas vertentes. Já temos poetas interessados em publicar seus livros conosco”, adiantou.

O lançamento oficial da editora e o pré-lançamento da primeira obra, ‘A floresta amazônica e o Polo Industrial da Zona Franca de Manaus: caminhos independentes’, do economista Juarez Baldoino, ocorreu em evento virtual, no Instagram da editora, @amazonia.et.al, com a participação dos membros do seu conselho editorial formado por mestres e doutores vinculados a diferentes instituições de ensino superior.

Primeira obra, ‘A floresta amazônica e o Polo Industrial da Zona Franca de Manaus: caminhos independentes’. Foto: Divulgação

Coletânea de artigos

Inaugurada, a Et Al já trabalha na divulgação tanto do lançamento de seu primeiro livro, do economista Juarez Baldoino, que ocorrerá no dia 5 de junho, quanto da abertura dos cinco editais que nortearão os próximos lançamentos. É a oportunidade de tirar dos arquivos os trabalhos científicos, acadêmicos, literários entre outros.

“Chamamos de editais as linhas editoriais que iremos trabalhar nas nossas próximas cinco edições. São elas: compêndio de feras da Amazônia; direito ambiental amazônico; economia amazônica; biotecnologia; e educação ambiental. Qualquer pessoa que tenha algum artigo científico sobre esses temas, pode nos enviar por e-mail, que o mesmo será publicado no livro em questão. Cada livro será formado por uma coletânea de artigos”, adiantou.

Eduardo revelou que a Et Al não conta com recursos públicos para a publicação de seus livros, sendo uma iniciativa empreendedora de seus idealizadores. Como qualquer editora, eles viabilizam a publicação de livros desde a edição do texto original até a venda do produto final.

“O autor só precisa nos entregar o original de seu trabalho e aguardar a chegada do mesmo transformado em livro”, disse.

Outra preocupação dos diretores da Et Al é com a venda das publicações. A editora se encarregará de colocá-las nas livrarias da cidade, bem como disponibilizá-las para os leitores através das redes sociais.

“Queremos que os autores apenas tenham o trabalho de nos entregar os originais de sua obra e depois colham o resultado positivo da apreciação dos leitores”, falou.

A Editora Et Al está localizada na av. Carvalho Leal, 1336 – Cachoeirinha, 2º andar – fone: 9 9162-4261 – Instagram: @amazonia.et.al – Site: Amazônia Et Al.

Um pouco sobre o livro

‘A floresta amazônica e o Polo Industrial da Zona Franca de Manaus: caminhos independentes’ será lançado, presencialmente, no dia 5 de junho, em local a ser definido, mas a pré-venda já está sendo realizada, apenas para reservas do exemplar, pelo Instagram da Et Al. O livro é resultado da tese de mestrado na Ufam, do professor de economia Juarez Baldoino.

Muito se tem falado sobre como o Polo Industrial de Manaus protege a floresta amazônica do desmatamento. A referência acadêmica para debater este assunto é o estudo ‘Instrumentos Econômicos para a Proteção da Amazônia – a experiência do Polo Industrial de Manaus’, (Machado; Mota; Rivas, 2009). Revisitando o estudo e cotejando diversos outros dados econômicos e sociais, Baldoino buscou verificar se é realmente possível afirmar que o Polo Industrial de Manaus exerce a função de proteger a floresta. “O economista possui um cabedal amazônida de conhecimento de mais de 40 anos de paixão pela região, e publicar a sua obra, é uma obrigação editorial. Este pré-lançamento é uma importante demonstração de como o debate científico verdadeiro deve funcionar: com tese e antítese, com a inclusão do contraditório, com contestação e confirmação”, avaliou Eduardo.

Trata-se de uma obra pioneira e, portanto, ousada, que ganha seu espaço no amplo e crucial debate sobre o futuro da região amazônica. A conclusão do livro pode ser vista como uma verdade inconveniente, mas que precisa ser conhecida.       

Foto/Destaque: Divulgação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email