29 de junho de 2022
Prancheta 2@3x (1)

A vida nos mostra momentos e oportunidades que nos fazem rir, na hora, e pensar, depois. E refletir também. Dia desses, na fila de um supermercado, havia uma mãe e seu filho em uma conversa sobre problemas com vizinhos. Papo vem e papo vai, em determinado momento a mãe sugeriu que o filho tomasse uma “atitude de homem”.

O guri respondeu com  essa pérola: “mãe, não quero gastar meu réu primário”. Confesso que não hora eu ri, discretamente. Mas ri. No entanto, passado os dias, pensei e descobri que a frase tem um efeito real mesmo. E deve ter muita gente por aí pensando nisso diuturnamente. E julgo que são pessoas de boa índole, afinal o estresse do mundo atual nos elimina parcela considerável de tolerância e paciência. E motivos não faltam para voltarmos aos tempos primitivos das cavernas.

Um exemplo é a posição de algumas mídias televisivas do Ocidente sobre a Guerra da Ucrânia e o medinho de uma Terceira Guerra Mundial. Mas, pensem de outra forma. A Ucrânia tem apoio em armas, tecnologia e munição de vários países do Ocidente, em um contexto de “guerra por procuração”.

E a Rússia está mostrando ao mundo que é decidida, forte e está cuidando das suas áreas de interesse. Interessante que se este evento tivesse ocorrido há alguns anos, seria comemorado pelos radicais esquerdistas, socialistas, comunistas e gramscistas  do mundo todo. Mas, como o presidente russo é conservador, ele é um monstro assassino e comedor de criancinhas. Mas é muita hipocrisia!

Outro dia recebi um vídeo, devidamente excluído, sobre uma reunião envolvendo alguns políticos, onde se tocou o hino da Internacional Socialista. Mas, isso tem a ver com o nosso regime político? Na minha visão é uma grande ofensa aos princípios  e valores que forjaram a nossa nação. Mas, é válido no contexto da liberdade expressão e pensamento. E o pior, é que vários leitores de teleprompter ou escrevinhadores de rascunhos para editor-chefe, comemoraram em redes sociais. Ridículo! E ofensivo mesmo! E digo isso de peito aberto, pois sou negro, filho de porteiro de edifício e empregada doméstica. E nunca fui “coitadinho” sustentado pelas “benesses” cretinas de órgãos de esquerda ou fui beneficiário de “programinhas sociais”. Situações também extremamente constrangedoras para se explicar às crianças na escola.

E como explicar o que é uma “vítima da sociedade”? Ou como definir o que é algo “politicamente correto”? Essas ideias, imbecis, me fizeram eliminar meu contato com algumas mídias que pensam diferente de mim. E daí? Estou muito velho para ser “conduzido” ou “cooptado”. Há alguns minutos, escutei uma mensagem na qual um entrevistador perguntou a uma autoridade se era correto um policial atirar e matar um bandido que apontasse uma arma para ele. A estupidez da pergunta, agregada com imbecilidade plena, me fez lembrar do guri na fila do supermercado.

O que será que o guri diria? E, por outro lado, tem muita gente por aí tentando entender a posição chinesa no mundo atual. Por mim, quero que “o circo pegue fogo”. Sim, e sabe por quê? Porque, pelo menos assim, teremos a oportunidade de continuar assistindo uma guerra mundial, que pode crescer mais ainda, onde se trata de estratégia, força militar e geopolítica e nem se fala de direita  e esquerda, apesar de alguns asnos tentarem conduzir as discussões para cair nesse nível de conflitos político-ideológicos. E a vida segue !

Carlos Silva –  É Professor e Coronel do Exército, na Reserva, serviu mais de 15 anos na Amazônia.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Anúncio

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email