Economia tem perspectivas favoráveis

O Banco Central avalia que, embora esteja em curso uma desaceleração, em ritmo ainda incerto, da expansão da demanda doméstica, as perspectivas para a atividade econômica são favoráveis, conforme indicado por informações preliminares sobre o trimestre atual.
A informação faz parte da ata do Copom (Comitê de Política Monetária do BC), que explica os motivos para o aumento da taxa básica de juros na semana passada de 12% para 12,25% ao ano.
A avaliação, segundo o BC, encontra suporte em sinais que, apesar de indicarem certo arrefecimento, apontam que a expansão da oferta de crédito tende a persistir. Além disso, a confiança de consumidores e de empresários se encontrar em níveis historicamente elevados.
“O Comitê entende, adicionalmente, que o dinamismo da atividade doméstica continuará a ser favorecido pelo vigor do mercado de trabalho, que se reflete em taxas de desemprego historicamente baixas e em substancial crescimento dos salários”, disse o BC na ata.
O BC reduziu a projeção de inflação para 2011, mas as expectativas para o próximo ano continuam no mesmo nível verificado no final de abril, apesar das medidas adotadas no período para segurar o crescimento da economia.

Projeção estável

A projeção para a inflação de 2011 caiu em relação ao valor considerado na reunião do Copom de abril e se encontra acima do valor central de 4,5%. Para 2012, a projeção se manteve estável, também em todos os cenários e permanece do centro da meta. Em um cenário alternativo, que leva em conta a manutenção da taxa de câmbio em R$ 1,60 e a previsão de aumento de juros do mercado, a projeção de inflação se encontra acima da meta para 2011 e em torno desse valor para 2012.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email