Economia do governo bate recorde e supera pagamento de juros

A economia do setor público para pagar os juros da dívida bateu recorde no valor acumulado no primeiro quadrimestre do ano, segundo relatório divulgado na quarta-feira pelo Banco Central.
O superávit do setor público acumulado entre janeiro e abril ficou em R$ 61,7 bilhões. O valor é equivalente a 6,82% do PIB (Produto Interno Bruto) do período.
A arrecadação de impostos e contribuições acima do previsto foi a principal responsável pelo aumento do superávit em relação ao mesmo período de 2007, quando estava em R$ 50,7 bilhões.
O setor público é formado pela União, Estados, municípios e estatais. Juntos, precisam fazer uma economia equivalente a 3,8% do PIB. Nos 12 meses encerrados em abril, o superávit primário está em 4,23% (R$ 112,6 bilhões).
A economia do governo superou o valor utilizado para pagar os juros da dívida. Nos quatro primeiros meses do ano, o pagamento de juros foi de R$ 54,8 bilhões. Com isso, o BC registrou pela primeira vez na série um resultado nominal positivo no primeiro quadrimestre do ano, de R$ 6,9 bilhões (0,76% do PIB do período). Em abril, o setor público fez um superávit primário de R$ 18,7 bilhões. Como foram gastos R$ 14,9 bilhões no pagamento de juros, houve um resultado positivo no mês de R$ 3,8 bilhões.
A dívida líquida do setor público apresentou queda em abril, devido ao forte superávit primário (economia para pagar juros) registrado no mês.
O principal indicador da dívida -relação dívida/PIB (Produto Interno Bruto)- caiu de 42,1% para 41% de março para abril. No ano, houve um recuo de 1,7 ponto percentual, segundo relatório divulgado ontem pelo Banco Central. Com essa queda, o valor da dívida ficou em R$ 1,153 trilhão.
Somente o superávit primário do governo respondeu por uma redução 2,2 ponto percentual na dívida. Houve também influência do ajuste na paridade da cesta de moe-das da dívida (0,1 ponto percentual) e da valorização do PIB (1,8 ponto percentual).
No sentido contrário, pesou a valorização cambial de 4,8% (0,4 ponto percentual) e os juros (1,9 ponto percentual). A dívida bruta alcançou R$ 1,6 trilhão em abril ou 56,9% do PIB, ante 57,6% em março. No ano, a dívida pública recuou 0,3 ponto percentual.
A dívida líquida do setor público apresentou queda em abril, devido ao forte superávit primário (economia para pagar juros) registrado no mês.
No ano, houve um recuo de 1,7 ponto percentual e o valor da dívida ficou em R$ 1,153 trilhão. Para maio, o BC estima que o resultado vá ficar em 40,9% do PIB. A meta para o ano é de 41,3%.

Efeito do câmbio

O recuo de apenas 0,1 ponto percentual no indicador em abril, apesar do superávit primário, se deve ao efeito da variação na cotação das moedas que compõem a dívida.
“O efeito câmbio elevou a dívida em R$ 9,193 bilhões. Isso amenizou o efeito do superávit”, disse o chefe do Departamento Econômico do BC, Altamir Lopes.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email