Não há como negar, em sua gênese, à humanidade passa por um momento de transição. Mudanças em todas as ordens, do espiritual ao material, o ser humano encontra-se num processo de reconstrução de “um novo jeito de ser”. Amor mútuo, respeito à diversidade de opiniões, justiça, solidariedade, são valores que devem prevalecer nesses novos tempos. 

Com efeito, o ser humano é um ser inquieto. Nunca está satisfeito com o que tem. Tá sempre querendo mais e mais. Quando à vida se transforma numa busca desenfreada por bens materiais, é hora de parar. O materialismo não é tudo. Ele não traz felicidade. O bom da vida é saber aproveitar o que se tem e viver plenamente com aqueles que amamos.

Em 1989 o grupo de rock nacional Titãs já nos alertava: “Quem espera que a vida / Seja feita de ilusão / Pode até ficar maluco / Ou morrer na solidão / É preciso ter cuidado / Pra mais tarde não sofrer / É preciso saber viver”. Pelo menos para mim esse é um dos maiores problemas do homem contemporâneo. Pena que “saber viver” não é matéria que se ensina na escola!

Aprendemos a viver diante da realidade da vida, das dificuldades, das alegrias, das tristezas, das derrotas, das vitórias. Alguns aprendem caindo, outros aprendem observando. Particularmente, não sou adepto dos que dizem: “errando é que se aprende”. Ao contrário, sou praticante da filosofia socrática que diz: “O homem sábio aprende observando, enquanto o homem comum aprende caindo”.

  Numa linguagem simples e direta, para que todo mundo possa entender, o filósofo está ensinando que não é preciso você fumar para saber que o cigarro causa câncer, ou que usar drogas causa dependência química, além da destruição da própria vida, da família, e da sociedade. Saber superar as dificuldades próprias da vida constitui-se no segredo do homem virtuoso, do homem amoroso, do homem sábio.

Aprender observando significa olhar para os mais velhos, os mais experientes, os mais sábios, os antigos, que podem ser nossos pais, professores, avós. Quando se valoriza a experiência dos mais antigos, à vitória, seja qual for o seu empreendimento, torna-se mais fácil. Basta você seguir os bons exemplos, que se tratando de experiência, os antigos são mestres nessa matéria.

Ternura, gentileza e amor tornam tudo mais fácil diante das durezas da vida. E como a vida do povo brasileiro não anda fácil, ultimamente, é preciso que recuperemos esses valores. Não sou teólogo para confirmar, mas tenho a percepção de que quando o ser humano pratica o bem ele se aproxima mais rápido de Deus do que quando ele ora. Não é isso que lemos em Lucas 10:25-37, na Parábola do Bom Samaritano?

Está comprovado que uma vida boa só pode ser conseguida por meio da honestidade, e que felicidade duradoura só pode ser alcançada quando você decide ser solidário. O amor ágape, o amor gratuito, é a coisa mais linda que existe no ser humano. Ajudar alguém sem esperar nada em troca é um dos pilares da felicidade humana. 

Diante de um mundo tão egoísta, saber viver é isso, é ser solidário; ter compaixão pelos mais necessitados; se solidarizar com a dor do outro. Não é fácil ser solidário, mas o único jeito é começar o quanto antes. Somente o homem solidário, aquele que pratica à caridade, consegue extrair o melhor da vida. Sejamos solidários, pratiquemos o bem! 

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email