E-commerce não para de crescer

Se o Brasil não parou graças ao e-commerce, foi também por ele que a economia conseguiu, ainda que devagar, caminhar. O crescimento do comércio eletrônico não só movimentou o varejo, como também garantiu emprego para muitos brasileiros. Segundo uma pesquisa divulgada pela Catho, uma das maiores plataformas para vagas profissionais no Brasil, o e-commerce precisou de 162% mais profissionais durante a pandemia.

E não foram apenas novas lojas online abertas que garantiram vagas a esses profissionais. Mesmo varejistas já consolidados abriram novas vagas pelo aumento da demanda na compra online. As maiores altas foram registradas nas funções de vendedor, atendente, gerente e supervisor de e-commerce.

“O crescimento expressivo na área de comércio eletrônico comprova que as empresas, de todos os portes e nichos, estão apostando na transformação digital e se adaptando à nova realidade de pouco contato físico com os clientes para evitar a propagação do vírus. Atualmente, oferecer serviços online pode ser a garantia de continuidade de negócios”, afirma a diretora de Operações da Catho, Regina Botter.

Segundo a Catho, a oferta de vagas no e-commerce só foi superada pelo setor de saúde. Por conta da pandemia do novo coronavírus, novos profissionais dos mais diversos departamentos precisaram ser contratados. No caso de fisioterapeutas respiratórios, o crescimento foi de 924%. Na área hospitalar, a alta é de 900% desde março.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email