Crime organizado impõe domingo de terror em Manaus

O crime organizado impôs um verdadeiro domingo de terror em Manaus, em retaliação pela morte de um traficante na capital. Espaços públicos como a bola das letras, agências bancárias, ambulâncias e pelo menos 17 ônibus do transporte coletivo foram incendiados. Manaus ficou praticamente todo o domingo sem a circulação de ônibus. Também foi divulgado pelas redes sociais um toque de recolher supostamente exigido pelos criminosos que fez com que a cidade ficasse quase deserta na noite de ontem.

Em razão de toda onda de violência, diversos órgãos públicos e estabelecimentos privados cancelaram as atividades na segunda. O prefeito de Manaus, David Almeida (Avante) defendeu que o Governo do Amazonas solicite junto ao governo federal a Garantia da Lei e da Ordem (GLO) que autoriza o uso das Forças Armadas.

David Almeida explicou que, neste domingo, conversou com o comandante Militar da Amazônia, general Luís Carlos Gomes Mattos, e com o governador do Amazonas, Wilson Lima, sobre as atitudes que devem ser tomadas pelo poder militar para impedir que os membros desses grupos criminosos continuem depredando e destruindo o patrimônio público, como ônibus, ambulâncias, praças e escolas. O objetivo é evitar que se repita esse domingo de terror em Manaus.

“Se estão fazendo isso durante a luz do dia, o que pode vir durante a noite, pode ser muito pior. Delegacias já estão sendo atacadas. Temos que invocar a GLO. Está mais do que na hora do Exército entrar nas ruas. Não se pode deixar que os marginais tomem conta. O Estado tem que aplicar mão firme, agir com rigor, para que atitudes como essa não aconteça mais na nossa cidade. (Eles) Foram longe demais. Um abuso extremo que a sociedade não compactua, não aceita. Eu, como prefeito, não vou aceitar isso”, enfatizou Almeida.

Um comitê de crise foi criado pela Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM) para apurar os incidentes violentos em Manaus e nos municípios de Parintins e Careiro Castanho. De acordo com o secretário de Segurança, coronel Louismar Bonates, o policiamento foi reforçado para que o direito de ir e vir da população não seja prejudicado.

As forças de segurança pública do Amazonas prenderam no domingo 14 pessoas envolvidas em incêndios e depredações em veículos, espaços públicos e agências bancárias. Os ataques iniciaram após a morte de um traficante em confronto com a Polícia Militar do Amazonas (PMAM).

“Isso é uma reação do tráfico de drogas e a todas as ações de enfrentamento que nós estamos fazendo a essas atividades criminosas. O estado do Amazonas no ano passado fez uma apreensão recorde de drogas, 19 toneladas. Só nesse ano, de janeiro a maio, já foram apreendidas 11 toneladas. E já foram apreendidas, de janeiro a abril, 832 armas”, disse Wilson Lima durante live nas redes sociais oficiais do Governo do Estado.

O governador ressaltou, ainda, que todas as forças de segurança do Estado continuam em alerta. “Nós triplicamos, hoje, a quantidade de policiais nas ruas e estamos montando barreiras em locais estratégicos. Já estamos trabalhando com nosso pessoal da investigação e já identificamos alguns possíveis mandantes. Quatorze pessoas já foram presas, dentre elas um dos líderes desses ataques coordenados na cidade de Manaus, no município de Parintins e também no Careiro Castanho”, detalhou.

Wilson Lima informou, ainda, que já conversou com o ministro-chefe da Casa Civil do Governo Federal, general Luiz Ramos, para informar sobre a situação no Amazonas e o trabalho que está sendo feito pelas forças de segurança.

Crime impôs domingo de terror em Manaus/Foto: divulgação

As operações da PMAM e Polícia Civil do Amazonas (PC-AM) têm a coordenação da Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM), que instalou um comitê de crise no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), no bairro Petrópolis, zona centro-sul. As prisões de envolvidos vêm sendo realizadas ao longo do dia, e o departamento de inteligência da SSP-AM mantém o trabalho de investigação para chegar aos mandantes dos ataques. 

Também integram o comitê o Corpo de Bombeiros do Amazonas (CBMAM), Departamento Estadual de Trânsito (Detran-AM) e Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), que completam o esforço conjunto para combater os ataques. 

As primeiras ações das forças de segurança incluem incursões em zonas suspeitas apontadas pelo serviço de inteligência da SSP-AM e seguem com policiamento reforçado em terminais e garagens de ônibus do transporte coletivo de Manaus e espaços públicos. Entre o final da tarde e início da noite, as ações continuam com montagem de barreiras policiais em locais estratégicos.

Reforço policial em domingo de terror em Manaus

A delegada geral da PC-AM, Emília Ferraz, informou que, do total de presos, 13 pessoas estavam diretamente envolvidas nos atos de vandalismo e um foi identificado como um dos mandantes das ações realizados na região do bairro da Redenção, zona sul de Manaus.

O secretário estadual de Segurança Pública, coronel Louismar Bonates, afirmou que reforçou o policiamento, inclusive com a convocação de policiais que estavam de folga, triplicando o efetivo nas ruas e novas prisões continuarão sendo feitas.

“Nós queremos aqui pedir o apoio da população que nos mantenha informados, que, se souber de algum ato criminoso que esteja acontecendo, viu a placa de alguma moto e algum carro, informe através do 181 ou 190 para que a gente possa efetuar as prisões. Eu quero pedir, inclusive, que não disseminem boatos que prejudiquem o trabalho da polícia e levem insegurança para a população”, disse o secretário de Segurança, ao reforçar que é falsa a informação de que a ponte Rio Negro tenha sido fechada por criminosos.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email