Dólar comercial é vendido por R$ 1,739, estável sobre a cotação de segunda-feira

Profissionais de mercado avaliam que o “efeito psicológico” das medidas do governo para impedir uma queda ainda maior das taxas cambiais continua a fazer efeito sobre o mercado de moeda.
Analistas também afirmam que realização de lucros (venda de ações mais caras) na Bolsa de Valores têm afetado a formação dos preços, com alguma saída de capital estrangeiro e a compra de dólar.

Fechamento estável

Nas últimas operações do dia, o dólar comercial foi vendido por R$ 1,739, estável sobre a cotação final de segunda-feira. Os preços da moeda americana variaram entre R$ 1,745 e R$ 1,727. Nas casas de câmbio paulistas, o dólar turismo foi cotado por R$ 1,840, estável.
Desde a semana passada, investidores têm sinalizado uma menor disposição a tomar risco, o que tem derrubado a Bolsa de Valores, que já “queimou” boa parte da gordura acumulada ao longo deste mês. A taxa de câmbio tem refletido esse nervosismo, acompanhando a sinalização externa, onde o dólar também recuperou parte do seu valor em relação ao euro, que chegou a bater a taxa histórica de US$ 1.50 na jornada de segunda-feira, voltando para US$ 1.48 na terça-feira.

Efeito marginal

Analistas de mercado destacam que a taxação de capital estrangeiro contribuiu para essa trajetória muito mais por “medo” do que pelo efeito real da medida, qualificado como “marginal, ou na melhor das hipóteses, transitório”, pela Moody’s, em relatório assinado por Mauro Leos, analista-chefe para o Brasil dessa agência.
“O fluxo crescente de capital para o Brasil reflete a presença de um sentimento favorável enter os investidores internacionais sobre as perspectivas de médio prazo do país, uma condição que foi reforçada pela habilidade em administrar os choques externos derivados da economia global e da crise financeira”, afirma o economista.
“Assim, como nós já notamos, há muito o que as autoridades podem fazer para conter o fluxo de capital. Portanto, um cenário envolvendo um real forte é o mais provável a ser enfrentando em 2010”, conclui.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email