22 de abril de 2021

Doença renal está cada vez mais presente em pets. Não relaxe. Saiba como evitá-la

A insuficiência renal está cada vez mais presente em pets, principalmente em animais idosos. Doenças infecciosas agudas podem desencadear o mau funcionamento dos rins e levar a uma morte súbita. Por isso, os tutores devem ficar de olho nos sintomas e buscar ajuda profissional imediata.

Tanto cães e gatos podem manifestar a doença, mas em geral os felinos têm mais predisposição ao problema. Os rins são essenciais para a harmonia do organismo, pois filtram as impurezas e outras substâncias tóxicas que devem ser eliminadas na forma de excrementos.

A perda da capacidade de filtragem do órgão causa a retenção de ureia e creatinina no sangue. Se esse lixo fruto do metabolismo do corpo não sair regulamente da corrente sanguínea, todos os sistemas que mantêm vivas as células podem falir, paralisar, com a possiblidade de tornar-se um processo irreversível.

Na maioria dos casos, a insuficiência renal pode ser causada simplesmente pelo envelhecimento do animal, principalmente quando o bichinho tem predisposição para desenvolver a doença. Porém, uma dieta não saudável, falta de exercícios regulares, obesidade, diabetes, também são fatores de risco, além de doenças infecciosas e intoxicações graves.

Como os humanos, os pets podem ter necessidade de submeter-se a hemodiálise quando os rins param completamente de funcionar, deixando o organismo urêmico e com excesso de creatinina. A partir daí, a máquina fica encarregada de fazer a filtragem do sangue. Porém, o processo é extremamente doloroso e impactante para o corpo.

As sessões de hemodiálise são como uma antessala da morte. Tanto humanos como os bichinhos sofrem muito e poucos conseguem ter uma sobrevida satisfatória. A qualidade de vida cai muito, o organismo perde a capacidade de reagir a outras doenças com a falência do sistema imune, ficando mais vulnerável a vírus, bactérias, fungos e a outros microrganismos.

Portanto, o melhor é investir na prevenção, adotando uma vida mais saudável, aliada a uma dieta balanceada, seguida de menor consumo de sódio, açúcar e gorduras. Em contrapartida, a ingestão de mais fibras leva a um melhor funcionamento do trato intestinal, prevenindo a obesidade e ainda diabetes, duas doenças crônicas progressivas que deterioram os órgãos e causam a insuficiência renal.

Praticamente, todas as raças de felinos são mais propensas a ter a doença. Entre os cães, os mais propensos a desenvolver insuficiência renal são poodle, beagle e o golden retriever.

O tratamento consiste na adoção de uma dieta com suplementos vitamínicos, redução de proteínas e terapia com fluidos e eletrólitos – em outras palavras, administração endovenosa de soro, contendo substâncias que controlam a doença. Mas quando o caso realmente se torna agudo e haja falência renal, a melhor solução é recorrer à hemodiálise.

A doença pode levar a quadros de úlcera, infecção e pressão alta. E ainda causar cegueira nos animais. E também em humanos.

POR DENTRO

Fique de olho nos sintomas

. Emagrecimento

. Perda de apetite

. Vômitos

. Diarreia

Anemia.

. Urina clara e frequente.

. O pet também passa a beber água com muita frequência.

DICA ANIMAL

‘Estou com um bafo insuportável’

Já observou aquele pet que chega e deixa um ‘bafo de onça’ insuportável? Pois é, em geral, isso acontece porque os tutores descuidam da saúde bucal dos bichinhos. Desde cedo, é importante cuidar da boca dos nossos amigos peludos, com escovações diárias e uma ainda uma tartarectomia periódica.

Afinal, a saúde começa na boca. E se não houver esses cuidados, bactérias, vírus, fungos e todo tipo de micro-organismos podem migrar para outros sistemas do corpo. E, nessa hora, é que a coisa pega, gerando muito sofrimento para os bichinhos e também aos seus donos. Portanto, vamos investir na prevenção.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email