Diversidade de produtos fortalece PIM contra as crises econômicas

A diversificação de produtos tem sido a marca registrada do PIM (Polo Industrial de Manaus). Nos últimos dois anos, o polo ultrapassou a barreira dos produtos eletroeletrônicos e duas rodas e está focando sua atuação também para projetos de pesquisa, biodiesel e de alta tecnologia, o que trouxe um diferencial para a ZFM (Zona Franca de Manaus) ante os demais projetos de desenvolvimento do país.
Estudo da Controle Consultoria, baseado em dados da Suframa (Superintendência da Zona Franca de Manaus), no período de 2008 até setembro de 2009 aponta que o CAS (Conselho de Administração da Suframa) aprovou 414 projetos entre implantação, diversificação, atualização e ampliação. Do total, 101 foram para o ramo eletrônico, sendo 36 de TV, auto-rádio e outros, 22 de receptor de sinais de TV, três de DVD e 40 de componentes, o que representou 24,40% dos projetos aprovados.
Quanto aos produtos mais fabricados no PIM, o estudo aponta que no ramo eletrônico os mais produzidos são TV, PCI (placa de circuito interno), receptor, cinescópio, gravador/reprodutor para audio vídeo, auto-rádio, controle remoto, monitor de vídeo com tela de cristal, líquido -exceto informática-, porteiro eletrônico forno micro-ondas, cabos de força, reator eletrônico, secador de cabelo, regulador de voltagem, reprodutor de CD e DVD, caixa acústica e barbeador elétrico.
No setor de duas rodas os mais fabricados são motocicleta abaixo e acima de 450 cilindradas, triciclo, bicicleta, bicicleta ergométrica, motoneta elétrica e motoneta a gasolina. No setor de plásticos, estão as peças plásticas moldadas por injeção, chapa, folha, tira, película auto-adesiva, peças plásticas moldadas por vácuo, pré-forma PET para recipientes, resina termoplástica extrudada, conexão de tubos plásticos, móveis de plástico, calçados plásticos e poliestireno expansível.

Adensamento da cadeia produtiva

No ramo metalúrgico, os intens mais fabricados são estrutura metálica, telha metálica, artefatos tubulares de ferro/aço, estrutura flutuante, partes e peças componentes metálicos, peças estampadas, ferramenta de corte, peças usinadas para duas rodas e laminados em ferro/aço.
No ramo de informática são fabricados PCI, câmeras de vídeo, disco a laser blueray, teclados, impressora de impacto térmica, UCP, GPS, antena para GPS, terminal captura de dados, dispensador automático cédulas, telejogos e acessórios e máquina de selecionar e contar moeda.
O proprietário da Controle Consultoria, o economista José Laredo, que realizou o estudo, avaliou ser a diversificação uma tendência do PIM, que hoje fabrica uma infinidade de produtos, decorrentes das oportunidades de mercado, o que aponta para o adensamento da cadeia produtiva.

Tendência é importante para o futuro

Segundo Laredo, a tendência mercadológica cria uma aglomeração no adensamento de fornecedores para atender a cadeia de produção. “O segmento de duas rodas tem essa característica”, exemplificou.
O secretário-executivo do Mdic (Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio), Ivan Ramalho, destacou na penúltima reunião do CAS, realizada no começo deste mês, que não tem havido concentração em um único produto do PIM -como acontecia no passado, quando a maior demanda de projetos era voltada para o segmento eletroeletrônico. “Hoje, a indústria diversificou seu mix, com a inclusão de produtos de pesquisa e alta tecnologia. Isso mostra que o PIM continua sendo no Brasil uma referência do ponto de vista de produção de bens de maior valor agregado”, assegurou.

Caminho positivo

Na opinião de Ramalho, a diversificação é um caminho positivo, uma vez que a própria economia brasileira está diversificada, o que resulta numa pauta de exportação brasileira bastante diversificada. “Metade da pauta é de produtos manufaturados a outra de produtos básicos”, informou.
Segundo o secretário, alguns segmentos têm um destaque importante a exemplo de motocicletas, mas existem outros projetos que estão mudando o desenho do PIM. Essa tendência, segundo ele, é importante para o futuro do PIM porque se num determinado momento ocorre uma crise, ou uma redução de demanda certamente que ela não atingirá igualmente a todos os produtos. “Como aconteceu neste ano com a crise global, cuja produção de motos despencou –decorrente da falta de crédito. Mas, outros setores se mantiveram”, comentou.
A superintendente da Suframa, Flávia Grosso, confirma que o polo está diversificado, com uma gama de produtos variados, inclusive voltados para a interiorização do modelo.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email