Distribuição logística do produto preocupa usineiros de Minas Gerais

Apesar do anúncio de novos projetos no Estado, a logística de escoamento da produção de álcool da região do Triângulo Mineiro, que concentra boa parte das usinas em Minas, e a alíquota de 25% do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) sobre o combustível ainda são fatores que preocupam os empresários.

O presidente do Siamig/Sindaçúcar (Sindicato da Indústria do Açúcar e da Fabricação do Álcool em Minas Gerais), Luiz Custódio Cotta Martins, já nesta safra o Estado terá um excedente de 800 milhões de litros, volume que poderá atingir a casa dos 3,5 bilhões na safra 2012/2013. “Temos que acelerar a instalação do alcoolduto e viabilizar os transportes ferroviários para destinar este excedente para as exportações”, afirmou.

O projeto que está sendo desenvolvido pela Petrobras prevê a instalação de um duto ligando os municípios de Senador Canedo (GO) a Paulínia (SP), passando pelos municípios de Uberaba (MG) e Ribeirão Preto (SP).

A obra está incluída no PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) para o setor de escoamento de álcool e deve garantir, por meio da interligação com o Porto de São Sebastião (SP), a exportação de 3,5 bilhões de litros de álcool por ano, a partir de 2011, de acordo com as primeiras estimativas.

O empresário Maurílio Biagi Filho, presidente da Maubisa, reiterou que a proposta do governo mineiro de reduzir a alíquota de ICMS de 25% para 12%, já encaminhada à Assembléia Legislativa do Estado, contempla apenas a redução do tributo entre as usinas e os distribuidores, mas não entre a distribuição e o varejo. “Minas é um dos Estados que menos consome álcool no país e possui um grande volume de carros flex fuel que nunca utilizaram o combustível”, disse ele para o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Márcio Lacerda.

“O problema tributário é de vital importância para o Estado e esta primeira redução é um pequeno passo”, destacou o presidente do sindicato mineiro.

Segundo a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, desde 2005, 40 usinas de açúcar e álcool estão em processo de implantação ou expansão no Estado, com investimentos previstos da ordem de R$ 8,5 bilhões. Este ano, uma nova usina entrou em operação e os projetos de expansão de outras quatro foram concluídos.

Para o próximo ano, quatro empreendimentos devem entrar em funcionamento. Outros 27 projetos, a maior parte em implantação, serão concluídos entre 2009 e 2014.

Na safra 2006/2007, 27 usinas estiveram em operação, sendo 12 produtoras de açúcar e álcool, 13 exclusivamente de álcool e duas que só produziram açúcar.
Até setembro, a safra mineira de cana-de-açúcar havia atingido a moagem de 27,9 milhões de toneladas até setembro, crescimento de 24% frente ao mesmo período do ano passado.

As projeções do Siamig projetam A um crescimento na produção de 26% em relação ao ano passado, para 36,5 milhões de toneladas. Já a produção de álcool, tanto anidro quanto hidratado, irá aumentar 28% no mesmo intervalo para 1,7 bilhão de litros.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email