Disfunção Sexual Masculina

O termo disfunção sexual refere-se a pessoas com atividade sexual insatisfatória, e pode manifestar-se através da dificuldade de ter ou manter a ereção peniana, também conhecida como disfunção erétil problemas para atingir o orgasmo, como ejaculação precoce ou retardo na ejaculação; perda ou diminuição do desejo sexual (libido).
Estima-se no Brasil que aproximadamente 25 milhõess de homens, ou seja, um entre cada cinco homens, sofram com algum tipo de problema sexual.
Isto acarreta diversos efeitos na vida do indivíduo, desde depressão ate dificuldades de relacionamento profissional e familiar.
Pacientes jovens costumam sofrer com maior frequência de distúrbios sexuais de origem psicogênica (emocional), pois na maioria das vezes, não possuem doenças orgânicas (físicas) que afetam a atividade sexual. Estes jovens devem receber além do tratamento médico um acompanhamento psicológico.
Por outro lado, indivíduos mais idosos ou com problemas de saúde como por exemplo diabetes, hipertensão arterial ou doenças neurológicas apresentam disfunção sexual de origem orgânica e podem beneficiar-se com o uso de medicações por via oral, atualmente existem diversas opções no mercado e com preço bastante acessível, importante ressaltar que estes medicamentos devem ser utilizados sob orientação médica. Existem também as medicações injetáveis, ou cirurgias para colocação de próteses penianas infláveis ou semirígidas, utilizadas sobretudo nos casos onde não houve boa resposta à medicação.
Os pacientes com diminuição do ”apetite sexual” ou perda de libido devem realizar exames laboratoriais hormonais, dentre eles a testosterona.
Ao contrário da mulher, no homem não existe menopausa, portanto, o termo andropausa que seria a menopausa do homem esta incorreto. Pode ocorrer principalmente nos mais idosos uma diminuição dos níveis de testosterona e quando estes associam–se a sintomas de disfunção sexual, fraqueza muscular, perda de concentração, irritabilidade e etc. a reposição hormonal esta indicada.
Importante lembrar que esta reposição deve ter acompanhamento médico e não deve ser utilizada em pacientes com neoplasia prostática.
A mensagem que deixo ao amigo leitor é que o primeiro obstáculo a ser vencido é o preconceito ou “vergonha” , o individuo que supera esta barreira e procura ajuda profissional, com as diversas opções da medicina moderna, na grande maioria das vezes consegue a resolução do seu problema e seguramente terá uma vida muito mais saudável e feliz.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email