Dinheiro público banca ato religioso

Enquanto a Igreja Católica promoveu a missa de Corpus Christi sem precisar de investimentos públicos, a Marcha para Jesus, organizada pelos evangélicos, tem o apoio tanto do Estado quanto da prefeitura, que bancam quase toda a estrutura necessária ao evento – do palco aos trios elétricos, da propaganda na mídia ao cachê de algumas atrações. Os pastores alegam que trata-se de uma compensação para os investimentos vultosos que são feitos pelo Poder Público em eventos da carne, como o Carnaval e o Festival Folclórico de Parintins. O ideal seria, entretanto, que o dinheiro do povo não fosse investido em nenhum destes setores. Escolas de Samba precisam se profissionalizar, os bumbás já arrecadam muito e as Igrejas idem. Nesse rolo, apenas os católicos parecem já ter aprendido a lição. Afinal, o máximo que precisam para promover seus eventos é de policiamento e da cessão de espaços como o Sambódromo. E já está de bom tamanho.

Olho vivo

Nesta segunda-feira ocorre a audiência pública que vai discutir o projeto que prevê a criação de um consórcio para administrar o Programa Águas para Manaus (Proama). Será às 10h, no auditório Beth Azize. Quem sugeriu foi o oposicionista José Ricardo Wendling (PT), mas a sugestão só foi acatada porque a bancada governista foi orientada a aceitar. Técnicos do Governo do Estado, da Prefeitura de Manaus e da Manaus Ambiental foram convocados, mas a plenária é aberta a toda sociedade.

Votação

O projeto nº 158/2013,que regulamenta o consórcio do Proama, podendo ficar a sua administração para a iniciativa privada (empresa concessionária Manaus Ambiental), por meio de licitação, será votado no Plenário da Assembleia provavelmente nesta mesma semana, em regime de urgência. José Ricardo fez apelo aos demais parlamentares da Casa para que se discuta melhor a concessão, prevista para durar 32 anos. Ele inclusive apresentou emenda modificativa para alterar o artigo 1º da propositura, retirando o termo “concessão” do texto .

Mau exemplo

Enquanto isso, na Câmara Municipal de Manaus, o mesmo projeto, que também deve ter autorização dos vereadores, deve ser aprovado já na segunda-feira, sem maiores debates. É que a bancada governista não foi orientada a debater, ao contrário do que aconteceu na Assembleia. O prefeito Arthur Neto parece querer que o projeto seja aprovado a toque de caixa.

Educação

Para amenizar um pouco a situação dos vereadores, uma outra audiência pública vai acontecer na Câmara, no dia 5, reunindo representantes da Secretaria e do Conselho Municipal de Educação, entidades e movimentos ligados à área, instituições de nível superior, professores e gestores, que foram convidados a debater a educação. Proposto pelo vereador professor Bibiano (PT), o evento vai discutir o Plano Municipal de Educação.

Estatística ruim

Dos 5.565 municípios existentes no Brasil, cerca de 2.200 ainda não possuem plano de educação, conforme Pesquisa de Informações Básicas Municipais, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Manaus é uma das capitais do país que consta desta lista, se ressentindo da falta de um conjunto de diretrizes, metas e estratégias construídas para atender as necessidades da educação do município.

Libras

A Ouvidoria Geral do Estado, em parceria com a Secretaria de Administração, está tomando uma excelente iniciativa ao capacitar servidores das unidades de Pronto Atendimento ao Cidadão (PACs) na linguagem de sinais. O curso de libras para os servidores inicia nessa segunda-feira e terá carga horária de 80h.

Redução

Os empreendedores gostaram da redução de 35 para oito dias do prazo para tramitação de projetos aprovados no Conselho de Desenvolvimento do Estado do Amazonas (Codam). A medida faz parte da política adotada pelo Governo do Amazonas para a promoção de um melhor ambiente de negócios para os investidores que buscam o Estado como destino para novos empreendimentos, permitindo que as linhas de produção possam ser instaladas o mais rápido possível.

Mudança

Antes, a avaliação técnica feita pela Seplan e Sefaz, acerca do processo que autoriza a empresa a operar no parque industrial local com incentivos fiscais, era realizada depois da reunião do Conselho. Agora, o processo é concluído antes da reunião do Codam e, caso a empresa não tenha pendências com o Fisco, o decreto do governo, assinado pelos secretários de Fazenda e de Planejamento e Desenvolvimento Econômico e da Casa Civil é expedido em 8 dias.

Wilson

Grave bem esse nome: Soldado Wilson. Você ainda vai ouvir falar bastante dele. É que o integrante do Corpo de Bombeiros do Amazonas foi escolhido para gerenciar as informações sobre ocorrências nos grandes eventos e fazendo link direto com a Secretaria Nacional de Segurança Pública. Ele e alguns outros colegas estão em Brasília realizando treinamento para atuar na Copa das Confederações e na Jornada Mundial da Juventude.

Próximo

O próximo programa vai ao ar na próxima quinta-feira (30), às 22h, e vai entrevistar o ex-deputado e jornalista Arlindo Porto, que teve seu mandato cassado durante a ditadura e devolvido simbolicamente nesta legislatura no último dia 03 de abril em Sessão Especial. O programa “Memória Parlamentar” é exibido às quintas-feiras, a partir das 22h, no canal 99 da Net e no canal 53 da TV aberta.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email