19 de abril de 2021

Dilma pede ao povo que não pare de consumir

https://www.jcam.com.br/ppart09082011.jpg
Como Lula em 2008, a presidente Dilma Rousseff pediu na manhã de ontem que o brasileiro não deixe de consumir, como forma de ajudar a proteger o Brasil da crise econômica internacional

Como Lula em 2008, a presidente Dilma Rousseff pediu na manhã de ontem que o brasileiro não deixe de consumir, como forma de ajudar a proteger o Brasil da crise econômica internacional. Em entrevista no Palácio do Planalto, ela afirmou que não é um momento para “brincar e sair por aí gastando o que não temos”, porque o Brasil não é “uma ilha isolada no mundo” e não está “imune” às turbulências econômicas do mundo, mas que o consumo deve continuar porque o país não passa por “nenhuma ameaça”.
Em 2008, a política adotada pelo governo Lula para reagir à crise financeira internacional foi turbinar o consumo interno com isenções de impostos e ampliação de programas de redistribuição de renda.
A presidente fez um apelo para que todos os segmentos da sociedade tenham “muita tranquilidade, muita calma e nenhum excesso”.

“Política Sóbria”

Dilma voltou a afirmar que o Brasil está em uma situação “muito mais sólida” do que em 2008, na última crise financeira. A presidente também reforçou que os bancos brasileiros, públicos e privados, estão “robustos” porque praticaram uma “política muito sóbria”.
Afirmou também que o mercado interno é uma “grande vantagem” que o país tem. “Estamos incentivando e tomando todas as medidas para que práticas de concorrências desleais não nos afetem”, disse.
Mesmo assim, a presidente disse esperar que os EUA e Europa se recuperem, para que voltem a consumir como antes. A presidente criticou a falta de política fiscal na Europa e EUA, disse que eles devem “tomar providências”, não o Brasil. Disse, no entanto, que o Brasil, “sem alvoroço”, tomará todas as “medidas necessárias para continuar sua trajetória”.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email