Dia Mundial do Fusca terá passeio pelas ruas de Manaus

Domingo vai ser um dia de comemorações. Primeiro, com um retorno lento e cauteloso à liberdade de sair de casa sem tanto medo de pegar a covid-19, depois um passeio pelas ruas da cidade a bordo de um fusca ou um carro antigo em comemoração ao Dia Mundial do Fusca.

O Fusca Clube de Manaus, para comemorar a data, irá realizar a ‘1ª Volta de Carros Antigos na Cidade de Manaus’, no dia 21, domingo, com concentração a partir das 8h na rotatória da Ponta Negra e início da volta às 9h.

“Na realidade, a data correta do Dia Mundial do Fusca, é dia 22, mas como cairá na segunda-feira, clubes no mundo inteiro a flexibilizam para comemorar num dia em que a maioria dos amantes do Fusca possa se reunir”, explicou Climário Cabral de Mesquita Filho, presidente do Fusca Clube de Manaus.

No dia 22 de junho de 1934 foi assinado o contrato entre a Associação Nacional da Indústria Automotiva Alemã e o designer de automóveis, e empresário austríaco pioneiro do ramo automotivo, Ferdinand Porsche. A data se tornou icônica à medida que o sucesso do veículo se perpetuou nas décadas seguintes, inclusive no Brasil.

“Para comemorar essa data tão importante para nós que somos apaixonados pelo Fusca, iremos realizar esse passeio de automóveis em função da pandemia. Como a ordem mundial é evitar aglomerações, então cada um vai permanecer dentro do seu carro e depois dar uma volta pelas principais ruas de Manaus”, acrescentou.

Uma longa volta

O Fusca Clube de Manaus foi fundado em 2016 e, desde então, Climário o preside. Em dois grupos de WhatsApp reúne mais de 500 proprietários de Fusca.

“Não tenho idéia de quantos Fuscas existem rodando em Manaus, mas além destes mais de 500 que temos nos grupos, sempre encontro algum desgarrado, circulando pela cidade”, disse.

Os associados do Clube comemoram em duas datas o seu amor de quatro rodas. Além do 22 de junho, eles também fazem festa no dia 20 de janeiro, o Dia Nacional do Fusca. Nesta data, em 1959, teve início a produção do carro popular da VW, numa fábrica em São Bernardo do Campo, São Paulo.

“Até então nossas comemorações se resumiam a exposição de Fuscas e carros antigos no Largo de São Sebastião, ou outro espaço público, mas este ano, como falei anteriormente, não queremos reunir uma grande quantidade de pessoas circulando num mesmo espaço”, explicou.

E a 1ª Volta promete ser longa. A partida será da rotatória da Ponta Negra rumo à ponte Rio Negro, com batedores da Polícia Militar à frente do cortejo. Haverá a travessia da ponte até o Iranduba retornando na direção da avenida Brasil. Depois avenida Djalma Batista até o Centro, passando pelo Largo de São Sebastião e área antiga de Manaus. Em seguida, avenida Getúlio Vargas, Djalma Batista, avenida Torquato Tapajós, e avenida do Turismo voltando à rotatória da Ponta Negra, onde encerrará.

“Calculamos que a 1ª Volta deverá durar em torno de duas horas e não temos idéia de quantos participantes irão. Geralmente reunimos uns cem veículos nas nossas exposições, mas as pessoas estão agoniadas para sair de casa e circular, então não sei como será a participação”, falou.

“Tanto na concentração quanto no retorno, estamos avisando a todos que não deverá haver confraternizações físicas. Cada um deve permanecer no seu carro e será obrigatório o uso de máscaras. Queremos que o evento seja revestido somente de festa e alegria”, avisou.

Para amantes e admiradores

Climário lembrou que, no Fusca Clube de Manaus, existem somente uns cinco modelos do icônico ‘Fusquinha’ 1967. Eles são os mais antigos existentes na cidade.

O modelo, lançado naquele ano, chegou com importantes mudanças. Foi equipado com motor 1.3, rendendo 38 CV, e adotou o sistema elétrico de 12 volts. Os aros das rodas receberam furos para melhor ventilação do sistema de freios.

“Temos também inúmeros modelos de outro icônico Fusca, o Itamar, lançado em 1993”, lembrou.

Em 31 de outubro de 1986 foi fabricado o último exemplar de um Fusca, no Brasil, mas quando presidente, o mineiro Itamar Franco (1992/1994) pediu à VW que voltasse a fabricar o veículo, no que foi atendido. No dia 23 de agosto de 1993 a produção recomeçou e foi encerrada, novamente, menos de três anos depois, em 28 de junho de 1996, após fabricadas 46 mil unidades. O carrinho era coisa do passado, revivendo apenas entre amantes e admiradores.

Na 1ª Volta, de domingo, o Fusca Clube de Manaus contará com a participação de integrantes de clubes parceiros, como o Old Fusca e o Fusca Car, além de outros modelos, como o Clube do Carro Antigo, Opala Clube, Quadrados, Caixa Baixa, Jeepeiros, Clube das Brutas, Cheveteiros, e Ômega Clube.

“E os motociclistas também estão convidados. Queremos realizar um grande congraçamento no retorno à quase normalidade de nossas vidas”, concluiu.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email