Dia dos Pais sem crise no AM

Cálculos da CDLM indicam que a data deve injetar mais de R$ 71 mi na economia amazonense

Em tempos de estagnação econômica, comerciantes apostam em datas comemorativas para impulsionar as vendas no comércio. No caso do Dia dos Pais, a data, primeira do segundo semestre, foi estrategicamente escolhida para acontecer no mês de agosto, época do ano até então sem grandes comemorações no Brasil.
Segundo alguns registros históricos foi o publicitário Sylvio Bhering que, em 1953, quem primeiro propôs que fosse celebrado o primeiro Dia dos Pais no Brasil. Na tentativa de tentar atrair comerciantes a publicitarem no jornal “O Globo”, meio de comunicação que difundiu a data, que rapidamente se tornou popular.
Na época, Sylvio Bhering teria escolhido dia 16 de agosto para comemorar o Dia dos Pais por ser dia de São Joaquim (segundo a tradição católica o pai da Virgem Maria, avô de Jesus Cristo). Para que acabasse caindo sempre em final de semana, acabou sendo escolhido o segundo domingo de agosto.
Hoje, o Dia dos Pais representa uma das datas de maior impacto para o varejo, e, por conta da crise na economia, em 2015 o nove de agosto deve ser de especial importância.
De acordo com pesquisa da CDLM, mesmo com a crise na economia, os manauaras não deixaram de presentear seus pais neste 9 de agosto. Segundo os cálculos da entidade, a data deve injetar mais de R$ 71 milhões na economia amazonense, o que representa um aumento estimado de 1,5% em relação ao ano passado.
“O dia dos pais está entre a terceira e quarta data mais importante do calendário para o comércio. Para nós é uma data importante em que o volume de compras foge do normal. Acreditamos que, mesmo com a crise, haverá um incremento nas vendas. Para alguns setores, a comemoração representa a segunda data do ano”, explicou o vice-presidente da CDLM (Câmara dos Dirigentes Lojistas de Manaus), Ezra Azury Benzion.

Produtos
Entre os presentes preferidos pais e filhos amazonenses estão peças do vestuário, com 20,6% das intenções de compra, e telefones celulares, opção de 9,8% dos consumidores. No caso dos smartphones, Benzion garante que nem mesmo a forte alta da moeda americana em relação ao real diminuiu o ânimo dos consumidores.
“Historicamente, junto com os calçados, esses itens são os preferidos dos filhos para presentear os pais. A maioria dos eletrônicos já são produzidos no país. Obviamente, em um futuro próximo, os preços vão subir porque alguns insumos são importados.
Mas no curtíssimo prazo, ou seja, de quando começou o aumento do dólar até o dia dos pais, ainda existe uma boa capacidade de compra”, explicou.
Com a economia movimentada, o segundo domingo de agosto acabou contribuindo com o comércio de forma geral. Ezra Benzion explica que por conta das festividades, o dia dos pais acaba influenciando positivamente outros setores que acabam alavancando os níveis de vendas durante, pelo menos, a primeira metade do mês.
“Setores de farmácia e supermercados estão registrando bons índices de vendas. Apesar de não influenciarem no resultado do Dia dos Pais, por não terem produtos relacionados a presentes, mas no resultado total do comércio eles acabam contribuindo com o crescimento”

Lucas Câmara
[email protected]

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email