Dia dos Pais anima varejistas de shoppings

Após meses difíceis para o comércio varejista, o ritmo de retomada das vendas aos poucos demonstra normalidade. O que representa um fator positivo para o setor. A data que homenageia os pais é a grande aposta para resgatar o consumo. Neste panorama, lojistas de shoppings centers da capital presumem alta de 5% a 10% para este ano. Tanto otimismo, faz parte do aumento gradual no fluxo de visitantes nos centros de compras, depois da retomada das atividades em sua totalidade pós-pandemia.

“Estamos com uma expectativa muito boa, principalmente por causa da demanda reprimida, três meses sem comprar as pessoas estavam carentes de muitos produtos até para o dia a dia, e até querendo sair com toda a precaução e cuidados exigidos comprar, ver gente, conversar nem que seja de longe”, afirmou a proprietária de uma loja no shopping, Mercedes Martine.

O retorno positivo dos consumidores nos malls é considerado melhor que o esperado, dentro do quadro que o setor vivencia. Mercedes espera um acréscimo entre 5% a 10%. Para ela, a expectativa está bem maior frente as outras datas comemorativas, também afetadas pela  pandemia.

“Nosso movimento está melhor, apesar do que estamos enfrentando num clima pós-pandemia. Inclusive, Manaus, está bem nesse quesito.Estamos com um probleminha de abastecimento por conta das fábricas terem ficado fechadas por um tempo, mas devagarinho estão chegando nossas mercadorias”.  

Ela lembra que o incremento vai depender dos nichos, confecções e calçados, por exemplo,  estão em alta, mas têm alguns segmentos que estão mais devagar.

Para o empresário e proprietário de uma loja de calçados num shopping da capital, Thiago Pinto, a expectativa é conservadora, mesmo porque na atual conjuntura o quadro do setor ainda continua adverso. Ele diz que desde que as atividades foram retomadas, a empresa tem vendido uma média de 50%, abaixo do que vendiam anteriormente. “E agora a gente pretende vender 70% do que vendíamos antes da pandemia. 

“Sempre precisa existir otimismo, porque assim conseguimos enfrentar os desafios e esperamos que continue nesse crescimento diário de vendas até voltarmos cem por cento à normalidade”.

A aposta dele para a data é trabalhar com a experiência dentro de loja, sempre dentro das normas exigidas pelos órgãos de controle. Além da gama de produtos exclusivos para a data.

Já Stanley Medeiros, que tem um negócio no centro de compras, as expectativas estão altas, mas ainda existe uma certa preocupação por conta do período em função da Covid 19. Ainda assim, ele está confiante e prospecta um volume de vendas maior  ou igual a do mesmo período do ano passado.  “Nossos atrativos para aproveitar a data é se adequar às necessidades do momento, além de ofertar novos produtos, com isso, aumentar o nosso leque de opções com temas referentes ao Dia dos Pais”. 

No entendimento do presidente da Alasc (Associação dos Lojistas do Amazonas Shopping Center), André Gesta, como é a primeira data comemorativa que todo o comércio estará reaberto acaba trazendo esse entusiasmo para representantes do setor. 

“A nossa expectativa é positiva. Temos lojas que estão reagindo super bem, inclusive, melhor que o ano passado. Mas claro, esse desempenho varia entre os ramos de negócios. O comércio está nessa tendência mais otimista. Os shoppings já vão começar estender os horários de forma opcional, então começa trazer um fôlego”.

De acordo com uma pesquisa realizada  pela CDL-Manaus (Câmara dos Dirigentes Lojistas de Manaus), os shoppings vêm evoluindo como centro comercial dinâmico e despontam como a preferência dos consumidores de Manaus para a compra do presente (39,5%). A pesquisa aponta ainda que a terceira data mais importante para o setor varejista do segundo semestre, prevê alta de 1,9% no volume de vendas em relação ao ano passado.  Com o ticket médio de compras é de R$ 90, a expectativa é que, a data injete quase R$ 80 milhões na economia do Estado. 

Estimativa abaixo do esperado

Mesmo com todo entusiasmo dos lojistas, o presidente da Alshop (Associação Brasileira de Lojistas de Shoppings),  Nabil Sahyoun, prevê uma queda para a data. Com 30% dos shoppings fechados no país, o setor deve ser afetado pela crise da pandemia. “Infelizmente o movimento vai ser fraco. A queda vai acontecer, e bem pior que 2019. De qualquer maneira não deixa de ser uma data promocional, uma data importante, e toda data dentro do calendário promocional acaba trazendo uma venda importante”. 

A Alshop, estima que o ticket médio por presente será de R$ 80. Os presentes mais comprados serão roupas, calçados e por último eletrônicos.  “Com restrições de acesso aos restaurantes, estimamos que o consumidor fará compras de artigos em lojas ou via e-commerce. Os itens mais comprados devem ser roupas e calçados e não mais eletrônicos e itens de alto valor, mas pequenas lembranças” estima Nabil Sahyoun.

Atualmente de todos os shoppings existentes no país, 498 estão abertos e quase todos com horário e acesso restritos enquanto outros 89 estão fechados como medida de restrição imposta por decretos estaduais e municipais.

A entidade vai divulgar uma pesquisa mais ampla feita com associados que representam 105 mil lojas em todo o país.

Horário estendido

O novo decreto 42.550 do governo do Amazonas reformulou o cronograma de funcionamento de algumas atividades, a partir do dia 1º de agosto, os shoppings da capital vão reabrir de 11h às 21h. Vale ressaltar que os empreendimentos continuam seguindo todos os protocolos de prevenção e combate ao coronavírus e reforçando o uso obrigatório do uso de máscara nas dependências dos estabelecimentos. 

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email