9 de maio de 2021

Desenvolvimento Sustentável no Sul do Amazonas

O turismo é uma das atividades econômicas mais afinadas com a conservação da natureza e tem o propósito de gerar lucros, mantendo a integridade das paisagens, e a visitação organizada de pessoas é uma das possibilidades mais interessantes de uso sustentável de recursos naturais como rios, cachoeiras, serras e montanhas.

Segundo dados oficiais do Ministério do Turismo (MTur), o turismo de natureza cresceu 27,3% nos últimos anos em nosso País. Além disso, o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) estima que visitantes gastem cerca de R$ 2 bilhões e gerem cerca de 80 mil empregos diretos nos municípios que ficam no entorno de Unidades de Conservação e trabalham o turismo dentro de áreas protegidas. 

O WWF-Brasil vem conduzindo um estudo que visa identificar o potencial turístico da região Sul do Amazonas, desde 2019, com previsão de ser divulgado ainda no primeiro semestre de 2021, incluindo 5 cidades: Apuí, Humaitá, Manicoré, Novo Aripuanã e Lábrea. A pesquisa avaliará quais atrativos existem nesse território, qual seria a infraestrutura necessária para sua exploração adequada e que problemas impedem o usufruto econômico desses recursos. 

Oficinas participativas – Foram mapeados atrativos naturais (cachoeiras, lagos, formações montanhosas, áreas de vegetação) e culturais (festividades e lugares de interesse religioso, étnico e cultural). A empresa Cactus da Amazônia, do especialista Francisco Girão, tem apoiado a pesquisa nesta primeira etapa. Para o levantamento de informações, foram considerados dados primários, retirados de entrevistas, visitas in loco; e informações secundárias, por meio de pesquisas em documentos.

Também foram realizadas oficinas que reuniram os atores sociais do setor turístico – como profissionais da hotelaria, bares, balneários, restaurantes, universidades, sindicatos e cooperativas. As oficinas geraram discussões que possibilitaram um diagnóstico participativo do potencial de turismo nestes municípios. A previsão é de que o estudo fique pronto no início de 2020.

O Sul do Amazonas –  Essa região é bastante sensível porque fica situada no ‘Arco do Desmatamento e tem indicadores sociais muito baixos. Sofre uma série de pressões ambientais, como exploração predatória, grilagem, mineração e invasão de áreas protegidas. Seus índices de desmatamento são altíssimos. Em episódio recente as cidades como Apuí, Lábrea e Boca do Acre estiveram entre as cidades que mais queimaram suas florestas. 
O turismo é única solução diante da falta de alternativas econômicas da região, para promover o uso de recursos naturais e gerar lucros para aquelas populações.

Geração de empregos – De acordo com a secretaria de Cultura e Turismo da cidade de Humaitá, este trabalho é indispensável no município e, tem um enorme potencial que está oculto nos lagos do seringal Vila Paraíso, nas praias do distrito de Ipixuna e na festa de aniversário da cidade, que atrai grande número de visitantes

O WWF-Brasil trabalha há mais de uma década no Sul do Amazonas, desenvolvendo uma série de projetos de conservação da natureza. O mapeamento das potencialidades turísticas do Sul do Amazonas representa uma possibilidade para a geração de empregos qualificados e uso responsável de recursos.

“Faltam opções econômicas robustas, que dinamizem a economia desses municípios e tragam oportunidades. Trabalhando de maneira conjunta e organizada, é possível posicionar o turismo como uma possibilidade econômica viável e que ajude a diminuir os índices de desmatamento dessas cidades”, contou a analista de conservação do WWF-Brasil, Karen Pacheco.  

Novo prazo para reembolso de passagens aéreas

O consumidor que solicitar o reembolso de voos eventualmente cancelados por conta da pandemia de Covid-19 teve prazo estendido até o dia 31 de outubro deste ano conforme as regras para o reembolso de passagens aéreas. O objetivo da medida é garantir o direito dos passageiros e a sobrevivência das empresas aéreas, que foram fortemente afetadas pela pandemia em 2020. A expectativa é de que a medida melhore a programação pelo consumidor e pelas companhias aéreas num período de insegurança, contribuindo para manter recursos na forma de créditos no sistema de aviação civil, aliviando o fluxo de caixa das empresas em um momento de crise aguda.

As regras continuam sem alteração. As aéreas têm o prazo de 12 meses, a contar da data do voo cancelado, para realizar a devolução do dinheiro, caso o passageiro solicite. O valor será atualizado com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) e, quando cabível, oferecer assistência material. Além disso, a legislação dá ao consumidor o direito de obter crédito do valor correspondente ao da passagem aérea, sem incidência de qualquer penalidade contratual.

O segundo semestre de 2020, em especial o fim do ano, foi de recuperação para as empresas aéreas. Dados da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) mostram que do início da pandemia – abril – até o mês de novembro do ano passado, o número de passageiros circulando nos aeroportos aumentou mais de 11 vezes, saindo dos 838,4 mil e indo para 9,83 milhões. O índice também foi crescente em relação ao número de voos. De acordo com a agência, foram 85,2 mil pousos e decolagens contra 11,8 mil, no mesmo período.

Voos Manaus-Miami direto via American Airlines 

O batizado do voo inaugural Miami/Manaus/Miami

Nesta semana foram retomadas as operações diretas entre Manaus e Miami, inicialmente, cinco vezes por semana com aeronaves Airbus A319. A American Airlines retomou esta semana as operações diretas entre Manaus e Miami. O voo passa a operar, inicialmente, cinco vezes por semana com aeronaves Airbus A319. O voo está programado para chegadas ao Aeroporto Internacional Eduardo Gomes às 1h20, com previsão de decolagens para Miami às 2h20. A partir de junho, o voo voltará a acontecer todos os dias da semana. 

A companhia está expandindo sua oferta de voos no país e agora contará com quatro frequências diretas entre Brasil e Estados Unidos. A empresa já retomou seus voos diretos a partir de São Paulo para Miami e para Dallas, além do voo de Rio de Janeiro para Miami.

A aeronave foi recebida no início de janeiro (04) para o seu batismo de chegada em Manaus e contou com a presença da presidente e diretora da Amazonastur, Roselene Medeiros e Ana Cláudia Rego, respectivamente. No aeroporto, funcionários da American Airlines, devidamente equipados, entregaram brindes locais para dar as boas-vindas à tripulação e aos passageiros que chegaram a Manaus.

Nesses 30 anos de operações da American Airlines no Brasil a aérea se mantém otimista sobre a retomada gradual das viagens e a recuperação do setor.

“Temos o prazer de anunciar mais essa retomada nas nossas operações, que marca uma vitória para toda a nossa equipe e para o mercado. Estamos confiantes de que teremos bons resultados e com esperança de continuar expandido nossa malha para o Brasil”, afirma Alexandre Cavalcanti, diretor de Vendas da American Airlines para o Brasil.

Pesquisa de Turismo é prorrogada no AM

O questionário da 3ª sondagem da Pesquisa Ambiente de Negócios do Turismo está disponível para ser respondido pelos empresários do trade até o dia 15 de janeiro. Inicialmente, o limite de participação à pesquisa encerraria no dia 22/12/20, mas foi protelado em virtude do alto nível de contaminação do Covid-9 na capital. 

A sondagem é feita pela Empresa Amazonense de Turismo – Amazonastur e prevê mapear as características em relação ao perfil das empresas, como os representantes percebem o mercado local, a inovação no negócio e de que forma o trade atua em relação à aprendizagem.

Podem participar representantes de agências de viagens, meios de hospedagens e outros empresários do ramo que deverão acessar (https://bit.ly/3SondagemAmtur2020).

O link que dá acesso às perguntas também foi enviado por e-mail e compartilhado via mídias sociais do órgão. A previsão é que os resultados sejam divulgados ainda no primeiro trimestre de 2021. Os dados obtidos servirão de base para a construção do Manual do Investidor. Esse documento servirá como orientação para quem tiver interesse em investir no Amazonas uma vez que ele apresentará o cenário do ambiente de negócios do turismo no estado. Os resultados das duas pesquisas anteriores (fevereiro e junho de 2020) estão disponíveis no site da empresa: www.amazonastur.am.gov.br

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email