Desempenho industrial fica prejudicado com greve

O reflexo dos 55 dias da greve dos auditores fiscais no início deste ano ainda poderá ser sentido pelas empresas do PIM (Pólo Industrial de Manaus).

O reflexo dos 55 dias da greve dos auditores fiscais no início deste ano ainda poderá ser sentido pelas empresas do PIM (Pólo Industrial de Manaus) nos próximos meses.
A avaliação é do coordenador geral de Estudos Econômicos e Empresariais da Superintendência da Suframa (Zona Franca de Manaus), José Alberto da Costa Machado. Segundo ele, os bons resultados dos indicadores de desempenho das empresas da região instaladas no PIM poderiam ter sido ainda melhores.
“Além disso, como aparalisação começou no fim de março, os impactosainda poderão ser sentidos no segundo trimestre deste ano”, informou o coordenador.
Segundo Machado, em função da greve, datas importantes para o comércio como o Dia das Mães não foram aproveitadas de forma adequada. “As vendas que ocorrem no mês de maio são fruto de trabalhos anteriores. Muitos pedidos feitos às indústrias deixaram de ser atendidos por conta do atraso na liberação dos insumos e isso de fato provocou uma diminuição no faturamento industrial”, acrescentou José Alberto Machado.
Apesar dessa avaliação, Machado garante que as expectativas das empresas locais são positivas. Com base em relatório da Suframa sobre o desempenho do trimestre, ele destaca o crescimento do pólo de duas rodas (fabricantes de veículos de duas rodas) e a retomada das vendas de celulares para o mercado externo.
Segundo os indicadores de desempenho das empresas da região, a expansão do consumo do mercado nacional está provocando o avanço na produção de motocicletas, que ultrapassou o patamar de 587 mil unidades, acumulando alta de 26,13% em comparação ao mesmo período de 2007. Os aparelhos de telefonia celular registram alta de 64,14% no primeiro trimestre de 2008, comparativamente ao que foi produzido nos primeiros 90 dias do ano anterior.
“Temos bons resultados, mas esperamos que a recuperação venha logo e que a situação se normalize. É certo que continuaremos crescendo muito mais do que nesse primeiro trimestre. Temos uma demanda que, como havia dito, não foi atendida por causa da greve, mas ainda assim acreditamos que as empresas locais deverão ampliar suas participações no mercado nacional e internacional”, acrescentou Machado.
Os indicadores da Suframa também indicam incremento de 39,64% na produção de receptores-decodificadores de sinal digital (via cabo, satélite e transmissão local terrestre), que passou de 1 003 milhão para 1,401 milhão de unidades produzidas.
No Estado do Amazonas, o setor industrial está entre os que mais geram empregos diretos. Só no Pólo Industrial de Manaus existem atualmente 102.083 mil trabalhadores com carteira assinada nas cerca de 500 empresas instaladas.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email